Histórias Que Eu Não Inventei

Um paralelo entre a vida no campo e na cidade grande é o que propõe o espetáculo Histórias Que Não Inventei, da atriz Glória Rabelo. Escrito pela própria atriz e dirigido por Gê Martu, a peça estreou em 2002 e desde então tem sido apresentada em diversas cidades de Minas, São Paulo, Espírito Santo, Curitiba e Distrito Federal, Chile, México e Argentina, e conquistado premiações importantes. Pela interpretação de Tunica, a personagem principal, Glória Rabelo ganhou o prêmio de melhor atriz e texto inédito nos Festivais de Teatro de Bernardino e Tupâ (SP) e participado de dezenas de outros.

Sempre muito bem acolhida, a personagem Tunica tem conquistado seu espaço e se tornando uma referência na carreira da atriz mineira, radicada em São Paulo, Glória Rabelo. Recheado de situações cômicas, Histórias Que Não Inventei está longe de ser um besteirol. Mulher simples da zona rural, Tunica se surpreende com a modernidade da cidade grande, onde as diferenças são mais evidentes. Habituada à calmaria do campo, Tunica leva uma vica pacata, sem pressa, e quando vai visitar o irmão, um médico relativamente famoso, fica surpresa com as novidades.

A idéia de Histórias Que Eu Não Inventei surgiu das observações de Glória Rabelo no universo sertanejo, na busca pela preservação das identidades culturais, e no seu interesse em resgatar o cotidiano, a linguagem, as tradições, os hábitos e costumes do homem do campo. “ Os camponeses são pessoas muito criativas e a natureza é a parte integrante do seu repertório. Eles possuem olhar muito mais intimista”, afirma a atriz, revelando que há situações cômicas no espetáculo e momentos de extrema delicadeza.

Glória Rabelo iniciou a carreira artística há quase 20 anos. Participou de diversas peças de teatro, mas Histórias Que Eu Não Inventei é seu maior sucesso. No cinema, atuou em dois curtas-metragens: Uma Andorinha Que Faz Verão, de Felipe Moreno e Borralho, o mais recente, de Arturo Saboia e Paulo Eduardo Barbosa.

Espetáculo: Histórias Que Eu Não Inventei
Autora: Glória Rabelo
Direção: Gê Martu
Elenco: Glória Rabelo (Tunica)
Data: 26 e 27 de fevereiro
Hora: 20 horas
Local: Teatro Sesi
(Av. João Leite, nº 1.013, Setor Santa Genoveva, ao lado do Clube Antônio Ferreira Pacheco)
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

OBS: Os ingressos poderão ser adquiridos no CAT Goiânia – Palácio da Indústria (Av. Anhanguera, esq. c/ Tocantins, Centro), de segunda a sexta, das 9 às 18 horas, e na bilheteria do teatro

Deixe um comentário


Confira também