Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Mercado de trabalho: mulheres são maioria em empresas goianas

Mesmo com impacto do cenário de pandemia, mercado de trabalho goiano tem gestão feminina em destaque em setores diversos. Pesquisa aponta aumento de 50% no número de mulheres em cargos administrativos em 2021
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(divulgação)

Vivemos em uma sociedade que está longe de alcançar a igualdade de gênero, contudo, as conquistas profissionais das mulheres vêm crescendo significativamente ao longo dos anos. Uma pesquisa nacional realizada pela companhia global de Executive Search e consultoria em lideranças, ZRG Brasil, que entrevistou presidentes de empresas de médio e grande porte, entre novembro e dezembro de 2020, levantou um aumento de 50% na participação de mulheres em conselhos de administração. Esta crescente se torna ainda mais louvável se considerado o cenário de crise provocado pela pandemia de Covid-19, que reduziu a porcentagem de mulheres na força de trabalho para 46,3%, o menor índice desde 1990, segundo dados do IBGE do segundo trimestre do ano passado.

No entanto, mesmo diante deste cenário incerto, empresas goianas de diferentes setores conseguiram manter seus números expressivamente positivos no quesito representatividade feminina no corpo de colaboradores, inclusive em cargos de liderança. É o caso da EBM Desenvolvimento Imobiliário, que iniciou o ano tendo 68% de mulheres em relação aos homens nos escritórios da incorporadora. A Supervisora de Comunicação, Lohanne Assis, trabalha há três anos na EBM e conta que aos seis meses já conseguiu a sua primeira promoção, sendo novamente promovida após dois anos. Ela afirma que tem sido uma jornada intensa, com muitas responsabilidades, e extremamente gratificante. “Eu cresço e aprendo diariamente com todas as oportunidades que nos são oferecidas. Ter alcançado essas posições em um período relativamente curto só atesta o quanto a empresa é comprometida a valorizar seus colaboradores”, complementa.

A executiva avalia que o aumento de mulheres nos cargos de liderança está diretamente ligado ao fato da empresa estimular e promover uma valorização igualitária entre gêneros. “Esse destaque está muito ligado à dedicação que todas nós investimos no campo profissional, em busca de reconhecimento e independência. E é algo que funciona como estímulo para outras mulheres seguirem o mesmo caminho”, conjectura. Lohanne ainda enumera fatores que ela acredita serem cruciais no trabalho executado por mulheres, como o senso analítico, a atenção aos detalhes, a capacidade de fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo e a sensibilidade para lidar com situações adversas. “Mesmo que ainda haja preconceito no mercado de trabalho de forma geral, hoje já é comum ouvirmos frases como ‘quando há mulheres envolvidas, o processo flui de forma mais organizada’, principalmente ditas por homens”, afirma ela.

No Crool Centro Odontológico, os cargos de liderança são compostos 90% por mulheres, e entre todos os departamentos, o número de colaboradoras do sexo feminino é de 83%. “Somos uma empresa livre de qualquer conceito já formado e buscamos lealdade aos nossos valores, assim como respeitar as diferenças e valorizar cada potencial. Ter a maioria de mulheres no nosso time foi uma grata surpresa do tempo, sem que isso fosse objetivo ou calculado, esse número aconteceu na busca diária por nossos objetivos”, afirma Paula Medrado, diretora de relacionamento do Crool.

A executiva, que está no cargo há mais de cinco anos, comenta que a maioria das outras gestoras tem mais de três anos de atuação, o que reforça a solidez das lideranças femininas. “Eu torço para que outras empresas despertem e possam entender as diferenças, para só assim extrair o melhor das pessoas e de nossas decisões diárias enquanto empresa e estilo de liderança”, enfatiza. Ela reconhece que a luta das mulheres por seus direitos não terminou, mas ressalta que cada vitória merece ser celebrada. Paula ainda comenta que a forte representatividade feminina no Crool contribui para que possam recrutar mais e mais mulheres para o mercado de trabalho. “Tenho certeza de colho frutos de outras mulheres e outras lutas, e sei que planto para que outras gerações colham. Nós, mulheres, somos e podemos ser tudo o que desejarmos”, complementa.