Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

George Orwell: vida e obra de um visionário da literatura

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Vida de Orwell é marcada por experiências que influenciaram sua visão de mundo e escrita (Foto: Reprodução/The Washington Post/AP)

Sagaz, bem-humorada e consciente das injustiças sociais, a escrita de Eric Arthur Blair se mostra cada vez mais contemporânea e necessária. Conhecido mundialmente pelo pseudônimo de George Orwell, o escritor e jornalista inglês deixou sua marca na literatura ao se posicionar contra o totalitarismo em um período marcado pela tensão política entre o capitalismo e o socialismo. Suas obras A Revolução dos Bichos e 1984 foram uma das mais vendidas do século XX, sendo ambas denúncias a sistemas políticos opressores.

Foi na cidade de Motihari, em 25 de junho de 1903, que Eric nasceu. Se mudou para Sussex com a família oito anos mais tarde, onde começou os estudos em um internato preparatório. Antes de seguir a tradição da família e entrar para o exército, frequentou a escola Eton, descrita por ele mesmo como a instituição “mais cara e esnobe das escolas públicas da Inglaterra”, entre os anos 1917 e 1921. A partir deste ponto, o que Eric vivenciou durante o período no serviço militar mudaria os rumos de sua vida para sempre.

Capa do best-seller "1984", título mais famosos do autor (Foto: Divulgação/Companhia das Letras)

Ao servir a Polícia Imperial da Índia por cinco anos, George Orwell passou por experiências suficientes para que um ódio do imperialismo britânico surgisse, sentimento que está refletido no livro Dias na Birmânia e também nos ensaios Shooting na Elephant e A Hanging. Apenas em 1927, enquanto residia na Inglaterra, que ele tomou a decisão de abandonar a carreira militar e tornar-se escritor. Após alguns sufocos na nova profissão e o lançamento de seu primeiro livro, Na Pior em Paris e Londres, George retornou ao exército e lutou na Guerra Civil Espanhola, onde teve as cordas vocais danificadas ao ser atingido na garganta por um tiro.

Talento é o que não falta para o escritor. Além das páginas de livros, suas ideias também estiveram presentes em centenas de críticas literárias, resenhas e artigos, publicados tanto em revistas quanto em jornais ingleses e americanos. Neste 21 de janeiro, completam-se 69 anos da morte de George Orwell. Vítima de tuberculose, o autor se foi ainda jovem, com apenas 46 anos e, provavelmente, muita coisa para contar.

Abaixo você confere algumas curiosidades que a Zelo selecionou sobre a vida e obra do escritor.

George Orwell com seu filho, Richard, em 1946 (Foto: Reprodução/Veina Richards)

Dificuldade em escrever 1984

Reverenciado pela crítica e até hoje usado como referência em produções culturais, como o a ideia do Big Brother, 1984 passou por algumas complicações até o lançamento. A escrita começou no ano de 1946, com a história ocorrendo em 1980. Porém, por conta alguns imprevistos pessoais, doenças e outros afazeres profissionais, o livro só chegou às prateleiras em 1949. Até mesmo o título sofreu mudanças, visto que, inicialmente, a obra se chamaria O Último Homem na Europa.

Até 1989, a obra havia sido traduzida para mais de 65 idiomas.

Influência inusitada

Mabel Lilian Sinclair Fierz. Este é o nome de uma das peças chaves para a publicação de Na Pior em Paris e Londres. Gaúcha e filha de um casal inglês, a moça de apenas 17 anos convenceu o editor Leornard Moore a publicar a obra de Orwell. Além disso, Mabel também ajudava o escritor com problemas pessoais, como as desavenças com o pai. A brasileira morreu aos 100 anos de idade, em 1990.

"A Revolução dos Bichos" denuncia o socialismo soviético (Foto: Divulgação/Companhia das Letras)

Filho adotivo

Ainda que fosse estéril, Orwell tinha bastante vontade de ter um filho. Seu apreço por crianças fez com que, em 1944, ele e a esposa, Eileen O’Shaughnessy, decidissem adotar um menino cuja família não conseguiria sustenta-lo. Com o trágico falecimento de Eileen no ano seguinte, Orwell manteve a decisão de adoção, ainda que os amigos aconselhassem a fazer o contrário, e se dedicou a cuidar da criança com muito carinho até falecer, em 1950.

Admiradores

De modo geral, a cultura pop foi bastante influenciada por elementos da escrita de George Orwell. O autor do best-seller Laranja Mecânica, Anthony Burgess, se inspirou em elementos de 1984 para criar a obra, além de colocar o romance em sua lista das cinco distopias mais importantes da história. O mesmo livro de Orwell também estava no coração de ninguém menos do que David Bowie! Ainda que não tenha ido para frente, em 1974, o artista declarou à revista Rolling Stones que planejava uma adaptação para a TV.