Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Verão: cuidados com cães e gatos devem ser redobrados

Vale seguir algumas recomendações para que os pets tenham mais conforto na estação mais quente do ano
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Shutterstock/Divulgação PremieRpet)

O verão é uma das épocas mais aguardadas do ano: praia, piscina, férias escolares, viagens e festas de fim de ano. Mas assim como os humanos, os pets também sofrem com as altas temperaturas, abafamento e exposição ao sol forte.

É natural que nessas ocasiões os cães e gatos apresentem menos disposição, muito mais sede, oscilações no apetite e até mesmo maior predisposição a alguns problemas de saúde.

Por isso, é importante seguir algumas recomendações que ajudam a promover mais conforto térmico e bem-estar a cães e gatos nessa época do ano. Quem orienta é o médico-veterinário Flavio Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet.

Alimentação

Não se assuste se o animal demonstrar alteração no apetite. Eles podem comer menos em épocas de calor e/ou preferir o alimento no período da noite, quando as temperaturas estão mais agradáveis.

Se o pet não comer, retire o alimento e ofereça em outro momento. Não deixe a ração exposta o dia todo, pois sob altas temperaturas ocorre deterioração da qualidade. E sempre descarte as sobras, pois podem facilmente estragar após contato com água ou saliva do animal, já que a umidade facilita a fermentação do alimento.

Hidratação

Ofereça água fresca e limpa à vontade e deixe a vasilha na sombra. Se notar que a água está acabando rápido, opte por um bebedouro maior, caso persista, procure um médico-veterinário para entender o que pode estar acontecendo.

Não permita que o animal beba água de piscinas. Ele pode tentar fazer isso se sentir muito calor, mas não é aconselhável, pois a água tem produtos químicos que podem causar vômitos e até gastrite.

Higiene

Após o banho, não deixe de secar bem, tanto os cães quanto os gatos, especialmente os de pelagem longa e densa, que ficam em ambientes fechados ou na sombra. O abafamento e a umidade favorecem a proliferação de fungos e bactérias que podem causar problemas de pele.

Raças mais peludas naturalmente sofrem mais com o calor. Por isso, a dica é tosar com mais frequência para ajudar no conforto térmico. Consulte um profissional de tosa para saber se o cão de pelo longo e/ou denso pode ser tosado. Em alguns casos é indicado fazer apenas a tosa higiênica.

Passeio

Evite atividades físicas e passeios em horários de sol alto e forte. Asfaltos e pisos muito quentes podem queimar o coxim plantar (almofadinha da pata) e provocar lesões.

Animais com a pele clara e pelos brancos também devem usar protetor solar durante a exposição ao sol para prevenir o câncer de pele. Assim como os humanos, eles são suscetíveis aos raios UV. Atenção especial às áreas mais expostas: focinho, ponta das orelhas e patas.

E lembre-se: em qualquer estação do ano, nunca abra mão do acompanhamento veterinário regular e de fornecer um alimento de alta qualidade para o seu pet.