Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Anywhere office: a liberdade de poder trabalhar em qualquer lugar

Benefícios do home office vão além da economia com estrutura e transporte, e reascendem o debate sobre o formato ideal de trabalho
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Estação de trabalho no Cristalino Lodge, com vista para a floresta (Foto: Samuel Melim)

Em pouco mais de dois anos desde o início da pandemia de Covid-19, termos em inglês para definir novas tendências de mercado geradas pela necessidade de distanciamento social é o que não faltam. Se reinventar à nova realidade virou algo normal e corriqueiro na vida de milhões de pessoas, que passaram a descobrir os benefícios do trabalho remoto e da famosa tríade em idioma estrangeiro tão popular nas redes sociais, o workcation, staycation e o anywhere office.

A essa altura do campeonato você já deve estar careca de saber o que significam essas três palavrinhas mágicas, que nada mais são do que variáveis do popular home-office, mas com o incremento de uma localização para lá de especial. A liberdade de poder trabalhar em qualquer lugar do mundo, sem restrições, ganhou adeptos e tem reascendido o debate sobre o formato ideal de trabalho, sobretudo agora, com o aumento do número de trabalhadores voltando ao presencial.

Segundo o levantamento realizado pela 18ª edição do Índice de Confiança Robert Half, que revela as perspectivas de contratação e expectativas atuais do mercado de trabalho para os próximos 6 meses, quase metade (48%) das empresas ouvidas farão uso do modelo híbrido de trabalho em 2022. A pesquisa mostrou ainda que 38% das empresas devem retornar totalmente ao presencial ainda este ano e que apenas 3% vão se manter 100% “officeless”, sem escritório.

O número de entusiastas ao trabalho remoto, no entanto, é bem maior. Segundo a pesquisa realizada pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA – USP) e pela Fundação Instituto de Administração (FIA), mais de 70% dos trabalhadores participantes gostariam de permanecer no home-office mesmo após o fim da pandemia. O estudo apontou ainda que para 81% dos entrevistados a produtividade é maior em casa do que no escritório.

As vantagens do trabalho remoto e a liberdade de poder escolher o seu próprio escritório seguem em alta, especialmente nos Estados Unidos. No início do ano, Brian Chesky, CEO da plataforma de hospedagem AirBnb anunciou que deixaria o escritório para trás para entrar de vez na onda do Anywhere Office.

No Brasil, a possibilidade também é bem-vista e até mesmo praticada. É o caso do advogado Fabiano Rodrigues, de 25 anos, que se mudou para Dublin, na Irlanda, no início de março para fazer intercâmbio enquanto mantém seu atual vínculo empregatício com o escritório de advocacia que representa, em São Paulo. “Adaptação leva tempo, mas a experiência tem se mostrado bastante positiva. Nem tudo são flores, é preciso se adaptar ao clima, fuso horário e a sensação de novidade. O mais importante é ter disciplina para comprimir com as obrigações com um mundo inteiro de possibilidade e novidades do lado de fora”, afirma o profissional, que, muito em breve, pretende conciliar a sua rotina de trabalho ao visitar outros países do velho continente.

Anywhere Office em hotéis

Os novos conceitos de trabalho remoto, mais flexíveis e impulsionados ainda mais pela popularização dos termos em inglês, caíram como uma luva para a indústria do turismo, sobretudo para o setor hoteleiro, amplamente afetado pela pandemia. Ao lado das casas de temporadas, muitos hotéis e resorts se destacaram positivamente na ampliação de infraestrutura adequada para receber esse tipo de viajante.

Um bom exemplo disso é o hotel Cristalino Lodge, um dos 25 melhores ecolodges do mundo segundo a National Geographic Travel. Projetado em total harmonia com a natureza, o hotel está situado na cidade de Alta Floresta – MT, sul da floresta Amazônica, em uma área 6 vezes maior que o Arquipélago de Fernando de Noronha, e tem na conservação da biodiversidade a sua maior fonte de inspiração e motivação.

Para fisgar os hóspedes interessados em uma mudança completa de ares, o hotel investiu na oferta de internet de alta velocidade e infraestrutura adequada dentro dos bangalôs, com mesas de leitura com vista para a floresta e, claro, uma grande variedade de experiências de lazer para quem quiser relaxar entre as reuniões do dia a dia. A interação com a natureza promete um mix de relaxamento sem igual durante a estadia.

Outro hotel que promete uma profunda conexão com a natureza durante o workcation ou até mesmo o anywhere office é o Six Senses Botanique, primeiro e único estabelecimento da luxuosa Six Senses nas Américas. Localizado na Serra da Mantiqueira, em São Paulo, o empreendimento oferece mais de 1,2 milhões de m² de paisagens naturais que garantem toda a paz e tranquilidade necessárias para quem precisa trabalhar, mas não renuncia ao conforto e qualidade de vida.

Uma vez no hotel, é possível equilibrar a sua rotina de trabalho com mimos no SPA, passeios de bicicleta e trilhas pela região, além de experiências ao melhor estilo do it yourself. No charmoso Alchemy Bar, um divertido laboratório de experimentos promete elevar os sentidos dos visitantes ao explorar preciosos recursos naturais para produzir esfoliantes corporais, hidratantes, sais de banho e até mesmo objetivos decorativos, como velas. A proposta se casa muito bem para aqueles que buscam uma quebra na rotina entre os afazeres diários.

Para os que não abrem mão de uma praia e só conseguem relaxar vendo o vai e vem das ondas do mar, os resorts tendem a ser uma opção bem interessante. No Transamerica Resort Comandatuba, no sul da Bahia, é possível conciliar uma agitada rotina de trabalho com os benefícios de um all inclusive premium, com mais de 6 restaurantes diferentes. Além disso, o destino é a pedida certa para praticar esportes, se divertir na água e trabalhar com toda a infraestrutura necessária em um cenário inspirador.

Hotéis em cidades notadamente reconhecidas como polos empresariais, como Brasília, também tem surfado na onda do Anywhere Office, sobretudo para aqueles que querem dar uma quebrada na rotina e mudar o ambiente de trabalho. No B Hotel, um dos mais concorridos empreendimentos hoteleiros do DF, projetado pelo renomado Isay Weinfeld, os hóspedes encontram uma verdadeira joia arquitetônica cobiçada por C-levels e até chefes de estado de todo o mundo. Imagine só trabalhar, diretamente do quarto, com vista para o Estádio Mané Garrincha? Ou, entre um compromisso e outro, dar um mergulho na piscina mais desejada de BSB?

Seja como for, a flexibilidade e a cultura do trabalho remoto chegaram, se instalaram e deverá ficar mesmo após o fim da pandemia. Os benefícios são extensos.

Uma das acomodações do Six Senses Botanique (Foto: Divulgação)