Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Barragem ganha prêmio de melhor filme do ano no Fica 2022

O documentário retrata a luta dos atingidos pelo maior desastre ambiental do Brasil para obter reparação do local
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Barragem
Cenas do documentário barragem – (Foto: Divulgação)

Com a cerimônia de premiação das mostras competitivas realizada no Cine Teatro São Joaquim, na cidade de Goiás, a 23ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) foi encerrada neste domingo (5). E nessa montagem mostrou seu protagonismo com números impressionantes: foram 474 filmes inscritos para mostras competitivas, produções que vieram de 20 países.

O vencedor do Prêmio Cora Coralina como melhor filme do ano, Barragem, filme de Eduardo Alves, retrata a luta dos atingidos pelo maior desastre ambiental do Brasil para obter reparação. Após o rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Samarco, em 2015, os moradores de Bento Rodrigues ficaram sem casa e sem fonte de renda. Desilusão, desinformação, desunião, protelações e outras manobras marcam o caminho de resistência dos atingidos ao longo dos anos.

Além da exibição de filmes e oficinas, ofertou shows de diversos cantores vilaboenses, apresentações artísticas e culturais espalhadas pela cidade, encontro multiétnico, espetáculo de teatro, feira gastronômica, mostras de fotografia e muito mais.

A agenda de shows artísticos, encerrada no último sábado com o show da cantora mato-grossense Vanessa da Mata, foi um oferecimento do Sesc, que investiu mais de R$ 650 mil na edição do Fica desse ano, de um total de R$ 5 milhões, considerando a contrapartida do governo estadual. A parceria Sesc/Governo de Goiás terá continuação em outros festivais vindouros, como Canto da Primavera, em Pirenópolis; e Mostra Nacional de Teatro (TeNpo), em Porangatu.

O secretário de Cultura, Marcelo Carneiro, destacou a importância do Fica para a valorização das produções e da cultura local. Finalizou desejando que todos tenham aproveitado o festival e que levem para suas casas mais informação e conscientização. “O Fica se despede esse ano deixando um legado de valorização do cinema, do meio ambiente e também de esperança de dias melhores”, enfatizou.

Confira os filmes vencedores da 23° edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental:

Mostra Washington Novaes

Prêmio Cora Coralina (melhor filme do ano)

Barragem

Direção: Eduardo Ades

Prêmio Carmo Bernardes (melhor direção)

Castelo de Terra

Direção: Oriane Descout

Prêmio Acari Passos (melhor curta ou média-metragem)

Mar concreto

Direção: Julia Naidin

Prêmio João Bennio (melhor filme goiano)

O dente de dragão

Direção: Rafael Castanheira Parrode

Prêmio Jesco Von Puttkamer (melhor filme júri jovem)

Benzedeira

Direção: San Marcelo e Pedro Olaia

Prêmio José Petrillo (melhor filme do júri imprensa)

Castelo de Terra

Direção: Oriane Descout

​​Prêmio Luiz Gonzaga Soares (melhor filme júri popular)

Castanhal

Direção: Marques Casara e Rodrigo Chagas

Menções Honrosas

Goyania – Outubro Ou Nada, de Uliana Duarte

Fragmentos de Gondwana, de Adalberto Oliveira

Mostra do Cinema Goiano

Melhor filme de ficção

Até a luz voltar

Direção: Alana Ferreira

Melhor filme documentário

Ritual Sagrado Kuarup: Entre o luto e o recomeço

Direção: Rosa Berardo

Melhor filme experimental

Memby

Direção: Rafael Castanheira Parrode

Melhor filme de animação

O retrato do mal

Direção: Márcio Jr. E Márcia Deretti

Melhor direção

Matheus Amorim, por Conto dos Lobos

Melhor direção de fotografia

J. C. Abreu, por Conto dos Lobos

Melhor roteiro

Joicy Viegas, por A falta dela

Melhor montagem

Rafael Parrode, por Memby

Melhor atuação

Até a Luz Voltar, de Alana Ferreira

Melhor som

Rafael Parrode e Belém de Oliveira, por Memby

Melhor trilha musical

Edson Seco e Juliana Freire, por Eldorado

Melhor direção de arte

São Jorge, Terra de cultivo, de Natália Vitral e Flávio Teixeira

Mostra Becos da Minha Terra

Melhor filme

Capitão Tocha

Direção: Matheus Amorim

Melhor direção

Laura Freitas, por Quando as Pupilas se dilatam

Melhor montagem

Elder Patrick, por Bola da Vez

Melhor som

Elder Patrick, por Capitão Tocha

Melhor roteiro

Elder Patrick, por Bola da Vez

Mostra de videoclipes

Melhor videoclipe nacional

Lamento de força travesti

Direção: Renna Costa

Melhor videoclipe goiano

Contramão

Direção: Kelvy Alves e Sandro Almeida

Menções Honrosas

Um dia de fúria, de Brunno Bimbati

Chorar, de Juliana Segóvia