Meu pet vai ganhar um irmão humano… E agora?

Dicas para acostumar os pets com bebês e crianças

 

pet vai ganhar um irmão A chegada de um bebê é um momento mais que especial na vida de qualquer pessoa e também, na vida dos nossos pets. É muito comum que durante a gravidez, as mamães comecem a pensar em como será a adaptação do irmãozinho humano ao cão, como ele irá reagir… Pensar nisso é muito importante, já que seu filho de quatro patas pode não entender bem o que está acontecendo e sentir um pouco de ciúmes, em um primeiro momento.

“Fazer a adaptação  quando o pet vai ganhar um irmão humano é imprescindível logo de cara, já que assim, ambos tendem a ser melhores amigos e se darem muito bem.” – disse a empresária e especialista em comportamento animal, Mayara Morelli, CEO do Cantinho do Bolinha. “Mas, para que isso aconteça, é preciso conhecer algumas técnicas e o mais importante, saber lidar com o seu pet e acolher os seus sentimentos. Muitas pessoas acabam deixando o cachorro largado quando nasce um bebê na família e isso pode desencadear sérias complicações físicas e emocionais ao seu pet.” – complementa.

Por exemplo, um estudo feito pela Universidade de Massachusetts nos EUA, em 2016, constatou que crianças portadoras do diabetes tipo 1 controlavam melhor a glicemia se tivessem um pet em casa. Um outro estudo feito pela Universidade de Alberta, no Canadá, mostrou que a presença de um cachorro pode ser essencial para ajudar a criança a desenvolver diversos aspectos de sua saúde, como as funções ligadas ao sistema imunológico. Pensando nisso, separamos esse guia completo para adaptar o bebê de quatro patas ao bebê humano.

Pet vai ganhar um irmão: veja como preparar a chegada do bebê

1) Verifique a necessidade de treinamento preventivo

Como é o comportamento do seu pet? Ele é mais agitado, arisco com crianças ou é mais calmo? Costuma sentir ciúme do tutor? Nesse ponto, é ideal que você conheça o seu cão e peça a ajuda de um adestrador especializado caso ele seja mais agitado e ciumento, antes do bebê chegar, para que essa adaptação seja feita de forma gradual.

2) Socialize seu pet

Acostume seu cão com companhias de crianças e outros pets sempre que possível. Comece socializando com outras pessoas adultas, depois com crianças e depois com outros pets da família. É importante que seu filho de quatro patas esteja acostumado com a companhia de outros seres.

3) Apresente os itens do bebê ao seu pet

Para as grávidas, é legal deixar o seu pet cheirar a barriga enquanto você fala para ele o que está acontecendo. Os cães são capazes de farejar as mudanças hormonais e saberem que algo de diferente está acontecendo. Além disso, mostre o quarto do bebê ao seu pet, deixe que ele cheire as roupinhas e comece a se acostumar com o ambiente e o cheiro do novo membro da família.

Como adaptar a rotina do pet com a rotina do bebê

1) Preserve a rotina do seu pet


Quando o bebê chegar, a rotina da casa será automaticamente mudada para as necessidades do novo membro da família e para a adaptação de todos. Por isso, preserve ao máximo a rotina do seu pet. Mantenha os mesmos horários de passeio, de alimentação, de brincadeiras… Assim, ele não se sentirá excluído ou deixado de lado. Caso precise fazer alguma mudança por conta da criança, comece aos poucos e de forma gradual para que o pet não relacione uma coisa com a outra.

2) Acostume o pet com o cheirinho do bebê

Deixe que seu pet cheire as roupinhas já usadas pelo bebê antes de lavar. Dessa forma, ele continua a se acostumar com o cheiro e passa a identificá-lo como o novo membro da família.

3) Faça as devidas apresentações

Quando a criança chegar em casa, apresente-a ao seu pet. Diga que ele é o novo membro da família, explique quem é e mostre que o quarto e os pertences são do bebê. Feito isso, faça uma integração gradual entre o bebê e o seu pet, primeiro deixando-o identificar os sons e os cheiros da criança, depois com a presença um do outro e por fim, deixando-os interagir. É normal que ele sinta ciúme, por isso, faça de forma gradual.

4) Faça reforços positivos

Enquanto você promove a integração entre o novo integrante da família e o seu filho de quatro patas, use e abuse dos reforços positivos. Sempre que o pet lidar bem com a criança, dê a ele seu petisco preferido, agrade ou até mesmo, presenteie com novos brinquedos. Assim, o animal perceberá que está indo bem e continuará dessa forma. Vale a pena lembrar que cães aprendem com reforço positivo: não adianta brigar quando ele fizer algo de errado, e sim, estimular positivamente quando ele agir de forma certa.

Acostumar o filho de quatro patas com o filho humano pode não ser uma tarefa rápida, tampouco fácil, mas é de extrema importância para a boa convivência. É comum observarmos que, fazendo uma boa adaptação, os cães acabam se apegando ainda mais aos bebês que aos próprios tutores, por entenderem que também precisam ajudar na manutenção do bem-estar do novo membro da família.

O importante é fazer de forma gradual e o melhor possível, afinal, ninguém merece abandonar um filho só porque outro chegou na família, não é?

Deixe um comentário


Confira também