BELEZA - 23/01/2019

Saiba como recuperar a pele das manchas pós-sol durante o Verão

Com tratamentos variados, é recomendável que intervenção comece logo após o surgimento das manchas


As sardas podem se manifestar no rosto de crianças ou jovens com a pele, geralmente, muito clara (Foto: Reprodução/Pixabay)

Responsável pela produção de uma série de hormônios e vitaminas, além de ser indicado por dermatologistas, o banho de sol só traz benefícios quando feito com responsabilidade. Para quem exagerou na dose durante o Verão ou esqueceu de passar protetor solar, pode haver consequências na pele, como aparecimento de manchas, pintas ou sardas. De modo geral, as manchas são respostas do tecido à agressão gerada pela irradiação. Para combatê-las, é necessário que um profissional de estética realize uma avaliação para verificar com qual tipo de mancha está lidando.

As manchas da acne surgem após a inflamação da região (Foto: Reprodução/Pixabay)

Dentre os tipos de manchas que a pele pode desenvolver estão:

- melanose ou manchas senis: arredondas, escuras e que aparecem devido a exposição prolongada ao Sol com o decorrer dos anos;

- efélides ou sardas: se manifestam no rosto de jovens ou crianças de pele, normalmente, muito clara que tenham sido expostas em excesso ao Sol;

- melasmas: com maior probabilidade de surgimento na testa, buço e maçãs do rosto, esse tipo pode aparecer após a gravidez, uso de pílula, exposição ao Sol ou a combinação de dois dos elementos. Além disso, existem casos raros em que as manchas são encontradas no colo e braços.  

- pós-acne: manchas que surgem após a inflamação da acne, vermelhas no início e podem se tornar marrons depois de certo tempo;

- ceratose seborreia: são feridas ásperas, de coloração escura ou esbranquiçada, podendo surgir no rosto, tórax, membros ou couro cabeludo. Comumente confundida com verrugas, as manchas são benignas e costumam trazer apenas incômodo estético.

Com o diagnostico realizado, é hora de iniciar o tratamento. A fisioterapeuta dermatofuncional, Dra. Aline Caniçais, explica que para os casos envolvendo a exposição ao Sol são utilizados recursos da eletrotermofototerapia, ou seja, terapias que utilizam equipamentos, entre eles a Luz Intensa Pulsada, ledterapia/laserterapia de baixa potência, peelings mecânicos (como diamante/cristal) associados a dermocosméticos despigmentantes. Os tratamentos são realizados de acordo com a necessidade do paciente e normalmente é iniciado no momento em que a mancha aparece.

É importante fazer o uso de cremes e loções para o cuidado com a pele (Foto: Reprodução/Las Morenas De España)

Por se tratarem de áreas muito expostas, o colo, pescoço e mãos também são muito afetados pelas manchas. Por isso, é indicado que estas áreas sejam tratadas, mediante avaliação profissional, ajustando o tratamento de manchas faciais, porém respeitando as características de cada região.

Para prevenir o reaparecimento das manchas, uma vez diagnosticado que o paciente tem facilidade para seu aparecimento, é necessário que seja ainda mais criterioso a exposição solar e proteção da pele, desde o uso de cremes e loções ao uso de roupas e chapéus adequados, além dos cuidados constantes com a pele para mantê-la limpa, hidratada e saudável.

Veja também