Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

As flores (e as cores) estão de volta a Nova York

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
cerejeiras
Em abril, a florada das cerejeiras é o grande chamariz de turistas do Jardim Botânico do Brooklyn
Foto: Julienne SchaerDivulgação)

Depois de meses sob baixas temperaturas e sendo visitada por algumas tempestades de neve, a chegada da primavera, em 20 de março, é mais do que aguardada em Nova York: essa é a época do ano mais colorida na cidade, com parques, jardins e bairros forrados de flores e árvores – incluindo as vistosas cerejeiras – em todo o seu esplendor.

Para caminhar, relaxar ou fazer um piquenique tendo toda a exuberância de paisagens floridas e multicoloridas como companhia, o NYC & Company, órgão oficial de marketing da cidade de Nova York, indica os principais endereços em Manhattan, Brooklyn, Queens e Bronx que, sobretudo na primavera, proporcionam passeios que são puro colírio para os olhos.

Jardim Botânico do Brooklyn

Jardim Botânico do Brooklyn. Foto: Tagger Yancey/Divulgação

Jardim Botânico do Brooklyn é um passeio legal o ano inteiro, mas, na primavera, o lugar ganha diversos plus. A começar pela esperadíssima florada das cerejeiras, árvores símbolo do Japão e que representam amor, felicidade, esperança e renovação. Para celebrar esse momento especial, o local realiza, em abril, época da floração das cerejeiras, o festival Sakura Matsuri, que leva a cultura japonesa ao pedaço por meio de apresentações culturais, desfiles e palestras. Como as sakuras (cerejeiras, em japonês) ficam floridas por apenas uma semana, vale visitar o site da BBG para conferir a evolução da florada e se programar para não perder esse espetáculo da natureza.

A flora e as paisagens típicas do país do sol nascente também podem ser apreciadas em outro agradável cantinho do jardim botânico: Japanese Hill e Pond Garden, que, durante a primavera, ostentam folhagens e flores rosadas, num belo contraponto com o portal vermelho brilhante localizado na lagoa que ladeia o jardim.

Central Park

Central Park. Foto: Jen Davis/Divulgação

Na primavera, a área verde mais famosa da Big Apple também fica emoldurada por lindas cerejeiras, de duas espécies – kwanzan e yoshino –, na região do parque denominada Cherry Hill. As cerejeiras yoshino, encontradas na porção leste do Reservoir (o maior lago do parque e um dos pontos preferidos da turma da corrida), foram dadas pelo governo do Japão de presente aos Estados Unidos.

Park Slope

Park Slope. Foto: Divulgação

Bater perna por entre os icônicos sobrados e predinhos de tijolos, butiques indie, bares e restaurantes casuais de Park Slope, no Brooklyn, fica ainda mais gostoso vendo a sucessão de árvores e flores nas ruas, sacadas e janelas das construções amarronzadas que dão o tom a esse charmoso e despretensioso bairro. As andanças podem terminar no Prospect Park, outro símbolo da região e que sempre conta com uma programação de shows e apresentações ao ar livre nos meses mais quentes do ano.

Washington Square Park

Washington Square Park. Foto: Christopher Postlewaite/Divulgação

Marcado pelo famoso Washington Arch – o grande arco que fica na entrada do parque pelo lado norte da Quinta Avenida –, uma fonte e o belo jardim que, na primavera, se exibe em seu auge, o Washington Square Park, no coração de Greenwich Village, é um convite ao relax e ao people-watching, juntando de moradores e turistas buscando se refestelar ao sol a estudantes da Universidade de Nova York, que fica ali pertinho, e músicos amadores dedilhando seus violões.

High Line 

High Line. Foto: Tagger Yancey/Divulgação

Construído onde outrora funcionou uma linha ferroviária elevada dedicada ao transporte de cargas, o parque forja um aprazível caminho suspenso e verdejante ao longo das regiões de Meatpacking District e Chelsea, numa passarela forrada de gramíneas e flores. Tudo isso sem se esquecer da arte: em junho, o High Line ganha mais uma obra, Windy, da artista Meriem Bennani, inspirada justamente na experiência de caminhar nesse parque nas alturas.

Channel Gardens, no Rockfeller Center 

Channel Gardens, no Rockfeller Center
Channel Gardens, no Rockfeller Center. Foto: Tagger Yancey/Divulgação

A época da Páscoa – e da primavera, claro – significa uma invasão de flores brancas e rosas no Rockfeller Center, cuja praça também ganha de enfeite um grande coelho “esculpido” em topiaria (arte de podar plantas em formas ornamentais).

Flushing Meadows Corona Park 

Unisphere – escultura que representa o globo terrestre e se eleva a uma altura equivalente a um prédio de 12 andares – e seu jogo de fontes são fotogênicos o ano todo, mas a obra, principal atração desse parque no Queens, torna-se ainda mais marcante ao ganhar a companhia das lindas flores primaveris.

Jardim Botânico de Nova York 

Jardim Botânico de Nova York. Foto: Tagger Yancey/Divulgação

Na primavera, lírios, lótus e muitas outras flores de tons vibrantes florescem e cercam o Conservatório Enid A. Haupt, estrutura desse jardim botânico, situado no Bronx, que abriga o Mundo das Plantas. Ali dentro, a exuberância continua, e os visitantes podem admirar as coleções vivas de flora mantidas pelo espaço, como majestosos exemplares nativos de florestas tropicais, uma infinidade de tipos de cactos do deserto, palmeiras de todo o mundo e plantas aquáticas e carnívoras, entre inúmeras outras variedades. Entre março e abril, também se destaca na programação o Show das Orquídeas, em que milhares dessas plantas são expostas de forma dramática, realçando ainda mais sua delicada beleza.