Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Goiano é primeiro brasileiro a tornar-se bacharel em Design na Suíça

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Gustavo Moura, 28 anos, terminou, no mês de junho, graduação em Design com especialização em Comunicação Visual na Escola Superior das Artes de Zurique (Zürcher Hochschule der Künste/ZHdK), Suíça. Ele é o primeiro brasileiro nato a estudar em um dos cursos de Design de maior concorrência na Europa, tendo pleiteado a vaga nas mesmas condições dos colegas europeus. Pelo famoso prédio da ZHdK, passaram nomes como Max Bill, Adrian Frutiger e Max Miedinger, o criador da famosa fonte Helvetica, a mais usada em todo o mundo.

Foram três anos de dedicação integral ao curso, 100% em língua alemã. Ao todo foram 180 créditos, todos com o foco para a formação em Direção de Arte e Criação e sob a coordenação do professor Rudolf Barmettler. Destaque para Tipografia, uma das especialidades da escola; Design Editorial, Design de Informação e Design Corporativo. Natural de Anápolis, Gustavo tem outro diploma do currículo: Artes Visuais com habilitação em Design pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente, ele integra a equipe da WBG, estagiando em dos mais tradicionais escritórios de Design de Zurique. Na empresa Gustavo deve permanecer por três meses, quando retornará ao Brasil, instalando-se em São Paulo.

Segundo o reitor da escola, Hans-Peter Schwarz, “a ZHdK pertence ao seleto grupo de universidades das Artes de sucesso na atualidade.” Além desta, ele cita a KunsthØgscholen de Oslo (Escola de Artes de Oslo); Hochschule für Kunste de Bremen (Escola para Artes), na Alemanha, e a Universidade de Artes de Berlim. Por este motivo, Gustavo sente-se honrado em ter estudado na ZHdK. “Foi um grande privilégio ter feito parte do corpo docente da escola que teve e tem papel fundamental na História e evolução do Design europeu e mundial”. (Matéria enviada pela jornalista Andrea Regis, de Zurich, na Suiça )