Casa cheia marca noite de estreia do Figo 2013 EDITAAAAR!

  • O Quarteto Brasil abriu os shows do Festival Internacional de Música em Goiás no Teatro Goiânia (Foto: Flávio Isaac)

Teve início na noite desta quarta-feira, 14, a primeira edição do Festival Internacional de Música em Goiás, o Figo 2013. O pianista Carlos Henrique Soares Brandão abriu o festival com uma criação em cima do clássico “Trenzinho Caipira”, de Heitor Villa Lobos. “Meu trabalho procura resgatar um tipo de música que praticamente desapareceu a partir do final do século 19, quando teve início o movimento de separação entre músico e compositor”, explicou Soares Brandão à plateia do Centro Cultural da UFG.

Um público formado por pessoas de todas as idades – inclusive crianças – acompanhou atento o movimento veloz e certeiro das mãos de Soares Brandão, que em determinados momentos tocava com vivacidade e, em outros, parecia acariciar o piano, intercalando com pausas dramáticas. “Deus o abençoe”, desejou um senhor extasiado na plateia. Soares Brandão ainda presenteou a platéia com uma criação sobre a ciranda infantil “Se essa rua fosse minha” e com uma releitura de Prelúdios de Bach.

“Vou ler a partitura não como música, mas como um mapa, como uma ajuda da memória. Vou obedecer o que está escrito mas, ao mesmo tempo olhando de outro ângulo, então é Bach, mas é diferente”, alertou. Soares Brandão foi aplaudido de pé após finalizar o concerto com uma composição própria, que reforçou seu estilo marcado por músicas que vão da tranquilidade de notas espaçadas aos acordes rápidos e dramáticos.

Teatro Goiânia

  • A Congada 13 de Maio foi uma das atração da noite de estreia do Figo 2013 (Foto:Flavio Isaac)

A Congada 13 de Maio foi a segunda atração da noite de estreia do Figo 2013. Vestidos de azul e branco, 13 integrantes do grupo, composto por homens e mulheres, crianças e adultos, se apresentaram no largo em frente ao Teatro Goiânia. Tambores e apitos deram o ritmo das músicas, cujos versos eram puxados pela capitã Lourdysane Valeska e falavam sobre resistência negra e fé, lembrando santos como Nossa Senhora e São Benedito. “Já são 69 anos de Congada em Goiânia, somos nove grupos e estamos aqui tentando fazer crescer a festa de Nossa Senhora do Rosário. Este é um momento único, o Figo é o primeiro festival a incluir um grupo popular como o nosso”, afirmou a presidente do grupo, Valéria da Congada. Parte do público acompanhou os integrantes do grupo e dançou ao som dos batuques.

O músico e diretor musical do Figo, Bororó, convidou o Quarteto Brasil para abrir os shows do festival no Teatro Goiânia. O quarteto, formado por Cristovão Bastos (piano), Jurim Moreira (bateria), Bororó (contra-Baixo) e Zé Canuto (sax) foi formado quando os músicos tocavam com Gal Costa. “Como ela sempre se atrasava para os ensaios, ficávamos fazendo música e daí surgiu o grupo”, explicou Bororó à plateia. A música “Bossa Nova USA”, composição de Dave Brubeck, foi a escolhida para abrir o show, seguida de sambas e mais bossas, como “Os três chorões”, composta por Cristóvão Bastos, “Elo”, composição do próprio Bororó e “O Delicado”, de Waldir Soares. O quarteto foi ovacionado pelo público. O anfitrião se disse emocionado por tocar com amigos em Goiânia, sua cidade natal, tendo ainda pai e filha na plateia. “Me sinto muito feliz por estar aqui hoje, com amigos, podendo trazer para a nossa sociedade o direito de ter acesso à cultura”, afirmou Bororó em agradecimento.

O quarteto franco-suíço No Square fechou a primeira noite do Figo com seu jazz

  • O quarteto No Square fechou a noite do Figo com jazz. No sax Matthieu Durmarque (Foto: Flávio Isaac)

marcado por longos e vigorosos solos de piano e sax, tocados por Matthieu Roffé e Matthieu Durmarque, respectivamente. O grupo ainda é composto por André Hahne, no baixo, e Alexandre Ambroziak, na bateria. Em inglês, André Hahne desejou boa noite ao público, que lotou o térreo do Teatro Goiânia para assistir o espetáculo que foi aberto com a música Homnage Avishai. O quarteto apresentou uma sequência praticamente ininterrupta de sete músicas – todas composições dos próprios integrantes da banda. A plateia, claramente encantada com a melodia do grupo, mal esperava o fim das músicas para aplaudir. Previsivelmente o No Square foi ovacionado ao fechar a apresentação com a música Deux de Chaisses. “Thank you very much”, agradeceu André em poucas palavras. “Thank you vocês”, retrucou parte do público, encantado.

Nesta quinta-feira, 15, os shows começam às 19 horas com o violonista Vitor Noah, no Centro Cultural UFG, seguido por Moda de Viola do Ponto de Cultura de Orizona, no largo em frente ao Teatro Goiânia, e pela Orquestra Filarmônica de Goiás, com regência de Carlos Eduardo Moreno, às 20h30, no Teatro Goiânia. A entrada para todas as atrações do Figo 2013 é gratuita.

Deixe um comentário


Confira também