Cárcere

Nos dias 12 e 13 de agosto apresenta-se pela primeira vez em Goiânia o ator, diretor, produtor e escritor teatral paulistano, Vinicius Piedade. Na 6ª feira, às 21h, o espetáculo será apresentado no Teatro do SESI, em uma parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Goiás. No sábado, às 20h, o ator muda de caixa cênica, e a apresentação acontece no Teatro Goiânia Ouro.
  • (Foto: Valmir de Lara)
O Espetáculo
A peça Cárcere é uma reflexão sobre a liberdade através dos olhos de um pianista privado da sua liberdade e de seu piano. Depois de tempos tentando viver de sua arte e encontrando imensas dificuldades, acaba topando o convite de um “amigo” que lhe oferece um “bico” de venda de drogas. Uma oportunidade única, já que o músico possui muitos contatos, devido às suas apresentações musicais em tantos bares.
A empreitada não parece dar certo, e o pianista acaba enclausurado em uma cela. Estando no Cárcere tentando negociar com a direção do presídio a entrada de um piano para ensinar outros presos a tocar, líderes de facções criminosas acham que sua conversa com a direção é na verdade “Caguetagem” e acabam jurando-o de morte. A direção da cadeia numa tentativa precária de protege-lo, coloca-o na Ala DoS Seguros. O problema é que quando tem rebelião na cadeia, quem é candidato natural a refém é justamente quem está nessa ala. Quando começa a surgir um boato de que uma rebelião está na iminência de estourar, ele começa a escrever um diário. É aqui que começa a peça. A contagem regressiva até a rebelião. Suas reflexões, lembranças e razões para continuar “se equilibrando na linha tênue entre persistir e desistir”, num momento em que está “na beira do vulcão que está pra entrar em erupção, na linha do trem que está vindo, na mira da bala com a arma já engatilhada”, são expressadas por um ator solo no palco, porém, em vibrante contato direto e indireto com o público.
A proposta estética da peça percorre diferentes camadas e linguagens desde o humor corrosivo de um homem em estado de sítio, até momentos essencialmente corporais. “Eu preferiatocar piano e dizer o que tenho pra dizer em ritmo e disritmia, mas como aqui não tem piano eu escrevo, mesmo sem saber fazer poesia”. Através de uma linguagem acessível – por ser visceral -, a peça Cárcere traz à cena diferentes camadas de profundidade que visam proporcionar ao público um mergulho em diferentes perspectivas de ser e estar preso.
O Ator- Escritor e sua obra Paulistano, Vinicius Piedade cresceu em busca do teatro. Dentro do repertório de Vinícius Piedade constam quatro peças: Carta de um Pirata (2003), Cárcere (2008), Indizível (2008) e Papillon. Este último, ainda em processo de montagem. Suas peças são resultado de pesquisa e desenvolvimento individual, porém, sempre contando com colaboradores essenciais. A principal proposta dos espetáculos é aprofundar o mergulho na existência humana por meio de personagens em situações limites. Condensa em sua interpretação a mistura de diversos estilos teatrais, indo da improvisação livre aos movimentos inspirados na dança contemporânea; da comédia inconformada as partituras de mímica. O trabalho visa levar o público a navegar nas peças como co-autores da realização teatral.
Vinicius piedade se diz um ator “desde sempre”. A trupe “Teatro Mágico” foi uma das parcerias que o levou para o palco e para o vídeo em algumas oportunidades. Em sua trajetória constam apresentações, no ano de 2010, de Carta de um Pirata e Cárcere na Suíça e na Alemanha, além de uma turnê nacional que passou por diversas capitais. Carta de um Pirata também abriu o Festival de Teatro da Amazônia, em 2009, no Teatro Amazonas, em Manaus. Em 2009 também houve o lançamento do livro homônimo à peça que será apresentada em Goiânia. O livro contém o texto integral da peça e fotos. Além do trabalho de ator, Vinicius também é um escritor, sendo o autor das obras Essas moças que me causam vertigens, livro de contos, datado do ano de 2007, e Trabalhadores de Domingo, de 2003.
Serviço:
Solo Teatral “Cárcere” com Vinicius Piedade
Datas: 12 e 13 de agosto
12 de agosto – 6ª feira – 21h – Teatro do SESI
13 de agosto – sábado – 20h – Teatro Goiânia Ouro
Ingressos: R$ 20,00 a inteira e R$ 10,00 a meia-entrada.

Deixe um comentário


Confira também