Alice Galvão faz show em homenagem aos velhos tempos

Vai bater saudade no show “Enquanto o tempo passa”, da cantora goiana Alice Galvão. Com seu timbre de voz marcante e um repertório refinado, a intérprete mistura clássicos do jazz e do blues internacional à boa Música Popular Brasileira. O show acontece em Pirenópolis/GO, no dia 15 de outubro, sexta-feira, no Teatro Sebastião Pompeu de Pina, às 21:30h, durante o XI Festival Canto da Primavera e precede a apresentação da carioca Mônica Salmaso.

Com visual retrô, Alice Galvão brinda os tempos passados. O título do show é uma adaptação livre para o português da música “As time goes by”, de Herman Hupfeld. “Eu preferi chamar assim por que tem mais a ver com o conceito do show, que pretende inspirar uma reflexão sobre as influências internacionais que a música brasileira sempre absorveu em suas vanguardas artísticas, principalmente na década de 1960, após o surgimento da Bossa Nova (em 1958), quando aparece o samba-jazz, discutido e apreciado nos bares de Ipanema, no Rio de Janeiro, ao mesmo tempo em que a mídia revela o rock tupiniquim da Jovem Guarda e o blues britânico estoura internacionalmente”, explica a cantora.

Para acompanhar a cantora, um casting de peso, formado pelos músicos Can Kanbay (guitarra), Richard Mueller (piano) e Sérgio Pato (percussão). O grupo homenageia a “música boa” e a liberdade de interpretação.

Trajetória

Alice Galvão começou sua carreira em 1999 como backing vocal de pop rock na banda Kweik. Em 2004 foi convidada pelo grupo percussivo Coró de Pau para participar também como uma das vozes de apoio. A cantora manteve os dois trabalhos até que em 2005 resolveu alçar novos vôos e iniciou um trabalho solo, cantando MPB em bares da capital goiana. Foi quando conheceu alguns dos músicos que a partir daí seriam seus amigos e colegas de trabalho, como Walter Carvalho (Forró Agarradinho), Xexéu (Nóys é Nóys), Can Kanbay, Fábio Pertence, dentre outros. Em 2009 recebeu o convite da cantora Simone Neto para juntas formarem o grupo Samba Lilás. Começou a estudar o ritmo e com o grupo realizou cinco shows com repertório que percorria de Noel Rosa a Caetano Veloso. No final do mesmo ano, mês de outubro, Alice Galvão foi convidada pelo guitarrista e produtor musical Can Kanbay para juntos montarem um show de jazz, blues e bossa, que contaria também com a presença de Fred Praxedes nos teclados. O projeto havia sido encomendado pelo retaurante Dody`s, de Caldas Novas e foi um sucesso. “Desta apresentação surgiu o convite para nos apresentarmos no Caffé Tarsia, em Pirenópolis, durante a programação do Festival Gastronômico. Foram dois dias de casa lotada!”, empolga-se a cantora, que não parou mais de receber convites, principalmente para se apresentar em eventos particulares.

Deixe um comentário


Confira também