Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

OVG garante acolhimento a pacientes com câncer

Em tempos de pandemia, a Casa do Interior mantém portas abertas para pessoas em tratamento oncológico em Goiânia.
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Marilene Lima Castro, moradora de São Domingos
Marilene Lima Castro, moradora de São Domingos. Foto: Cristina Cabral

 

O Governo do Estado e a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) acolhem pacientes vindos de outras cidades goianas para fazer tratamento contra o câncer em Goiânia. Com atenção redobrada e de olho nos protocolos de higiene dos órgãos de saúde, desde o início da pandemia, a Casa do Interior tem priorizado o atendimento desse grupo de pessoas.

De janeiro a agosto de 2020, a unidade acolheu 1.490 pessoas, entre pacientes e acompanhantes. Para garantir a segurança dos hóspedes e da equipe multiprofissional da unidade, a Organização solicita aos municípios e entidades sociais que façam uma triagem mais minuciosa antes de fazer o encaminhamento. A intenção é garantir atendimento a quem não pode parar o tratamento e não tem onde ficar na capital.

Para evitar o contágio pelo coronavírus, o uso de máscaras passou a ser obrigatório e a unidade intensificou a higienização. Tapetes de sanitização e recipientes com álcool 70% são vistos em vários ambientes. Três vezes ao dia, a equipe de enfermagem monitora os acolhidos com a aferição de temperatura, verificação da existência de sintomas respiratórios e outros sinais da Covid-19. Atividades como palestras são realizadas ao ar livre, com distanciamento social.

A Casa do Interior serve cinco refeições diárias, que são preparadas com muito cuidado para garantir segurança e saúde nutricional aos hóspedes. Além da hospedagem, a instituição oferece transporte gratuito aos pacientes e acompanhantes dentro de Goiânia. As janelas das vans, utilizadas no serviço, ficam abertas durante as viagens e o número de passageiros é reduzido.

Já o Serviço de Psicologia da Casa do Interior redobrou a atenção com a saúde psíquica dos pacientes. Além dos atendimentos individuais, são trabalhados temas reflexivos. “O paciente oncológico se encontra em uma condição de maior vulnerabilidade diante da Covid-19, e isso assusta. Gera sentimentos de preocupação e medo. E, nessa hora, é fundamental que seja acompanhado de forma acolhedora, o que lhe traz mais condições de prosseguir e enfrentar o tratamento”, afirma Liliane Medeiros, psicóloga da unidade.

A diretora-geral da OVG, Adryanna Melo Caiado, afirma que é maravilhoso saber que a OVG contribui para que essas pessoas, a grande maioria de famílias em situação de vulnerabilidade social, possam dar continuidade a um tratamento tão importante, mesmo

em tempos de pandemia. “O reconhecimento e o carinho que recebemos de cada pessoa beneficiada com o serviço da Casa do Interior é gratificante. Nossa intenção é acolher com segurança e oferecer carinho e conforto a essas pessoas”, diz Adryanna Melo Caiado.

Continuidade 

Coragem, fé e determinação foram atitudes decisivas na vida da dona de casa Goiaci Alves da Mata, de 57 anos, moradora de Divinópolis, que em meio à pandemia da Covid-19 precisava dar continuidade ao tratamento de câncer de estômago. Segundo ela, o prosseguimento só foi possível por conta do suporte da Casa do Interior. “Eu não teria onde ficar. Além disso, aqui recebo informações e orientações para evitar a contaminação pela Covid-19, o que é muito importante para aqueles que, como eu, enfrentam o câncer”, afirma dona Goiaci.

Igualmente corajosa e cheia de fé é Marilene Maria Lima Castro, de 57 anos, também acolhida pela OVG. Ela veio de São Domingos para fazer tratamento de um câncer no pulmão. “Aqui, é tudo bem higienizado e organizado. A gente recebe orientações para manter o ambiente limpo, fazer higienização, trocar roupas e sapatos ao chegar do hospital”, revela Marilene, que se diz muito agradecida.

A presidente de honra da OVG e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado, destaca a importância de o Governo de Goiás manter a acolhida aos pacientes do interior durante a pandemia. “Sabemos que o serviço é muito relevante. Os pacientes não podem ficar indo e voltando todo dia com a saúde fragilizada. São pessoas que moram longe da Capital, que não teriam condições financeiras de pagar por uma hospedagem”, afirma Gracinha Caiado.