Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

No Dia da Mulher, primeira-dama de Goiânia destaca importância de políticas de proteção e acolhimento

Thelma Cruz ressalta a necessidade de oferecer formação e auxílio para mulheres alcançarem seus direitos, sonhos e objetivos
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Divulgação/ Prefeitura de Goiânia)

Com vasto histórico de trabalhos sociais no Brasil e em outros países, a primeira-dama de Goiânia, Thelma Cruz, exorta as mulheres no 8 de março: “olhem para dentro de si e afirmem o quanto são incríveis, fortes e que podem todas as coisas”.

Neste Dia Internacional da Mulher, Thelma se emociona com a situação de vulnerabilidade feminina diante da violência e alerta para a necessidade de maior proteção e ressalta que as mulheres precisam ser cuidadas, respeitadas e reconhecidas. Ao relembrar dos trabalhos sociais no continente africano, ao lado do prefeito Rogério Cruz, ela destaca a injustiça contra as mulheres negras que “ainda sofrem discriminação pela cor, infelizmente.”

Assistência Social

Terapeuta holística complementar, a primeira-dama morou em Angola e Moçambique, por 16 anos. Lá, realizou trabalhos sociais de amparo a mulheres e crianças vivendo em situação de miséria. De volta ao Brasil, especialmente em Goiânia, se dedicou ao voluntariado em ações de empoderamento feminino e capacitação profissional, além de assistência social a vítimas de violência doméstica.

Atualmente, se engaja em pautas de apoio às mulheres socioeconomicamente vulneráveis na Prefeitura de Goiânia. Seu gabinete foi montado exclusivamente para atendimento e realização de ações sociais voltadas às comunidades carentes de diversas regiões da capital, além de contribuir em projetos desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM). “Cada pessoa que eu vou visitar é uma experiência gratificante. Vou atender, levar uma cesta básica, estender a mão, ouvir, e saio beneficiada, além de agradecida, pelo privilégio de poder estar lá”, explica.

Sobre o acolhimento e proteção às mulheres, a primeira-dama conta que os planos da gestão priorizam o desenvolvimento de ações de apoio e formação profissional. “Nós queremos que a mulher receba saúde, educação e que, com isso, se sintam valorizadas”. Segundo a primeira-dama, esse é o momento de criar políticas públicas para as mulheres alcançarem seus sonhos e objetivos.

“Vamos trabalhar para que todo homem tenha a consciência de respeitar os direitos da mulher”, comentou Thelma ressaltando, como exemplo, a campanha “Meu Corpo Não é Corrimão” desenvolvida pela Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), para combater o assédio sexual dentro do transporte coletivo.