Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Campanha para a presidência do Crea entra na reta final

O engenheiro civil Idalino Hortêncio, um dos candidatos, pretende implantar novas sedes no Estado, ampliar o diálogo com os profissionais
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
presidência do Crea
Engenheiro civil Idalino Hortêncio pretende estreitar a relação do Conselho com prefeituras

Idalino Hortêncio, engenheiro civil há 33 anos, é um dos quatro candidatos à presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO). A eleição será realizada na próxima quinta-feira, dia 1º de outubro, de forma presencial, na sede do Conselho em Goiânia e nas 28 inspetorias do Estado. Poderão votar engenheiros, agrônomos, geólogos, geógrafos, meteorologistas e tecnólogos registrados no CREA-GO e que estiverem em dia com suas anuidades. No pleito também serão eleitos o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e o diretor da Caixa de Assistência dos Profissionais (Mútua).

O objetivo de Idalino, caso seja eleito, é estreitar a relação do CREA-GO com as prefeituras, câmaras municipais, instituições de ensino, pesquisa e inovação e todos os setores da sociedade, abrindo um canal eficiente de comunicação e a possibilidade de implementar a representação do Conselho em todos os municípios goianos. “Novos tempos exigem novas formas de enfrentar os desafios”, diz.

O engenheiro defende uma relação mais integrada, criando facilitadores para os gestores públicos, ampliando a atuação do CREA-GO e avançando em melhorias para a cidade e na qualidade de vida das pessoas. “Nestes novos tempos, as mudanças acontecem a todo instante. As entidades de classe, cada vez mais, são chamadas a serem participativas e ágeis”, afirma Idalino.

O compromisso de Idalino Hortêncio será promover a interlocução com os entes públicos na construção de linhas, ideias, propostas e ações que venham ao encontro do que os profissionais desejam e o que a sociedade demanda. “Podemos contribuir efetivamente com o poder público na definição de diretrizes que venham melhor atender às necessidades dos cidadãos. Neste momento somos 62 mil profissionais e 25 mil empresas registrados no Conselho e em contato direto com a sociedade e com todos aqueles que constroem, reformam, plantam e urbanizam nosso Estado”, destacou Idalino.

Compromissos
Idalino pretende fortalecer a relação do CREA-GO com os profissionais, com o poder público e a sociedade. Fará também um programa de valorização das inspetorias regionais com maior investimento e ampliação da representatividade dos profissionais, além do levantamento das demandas setoriais por região. “O maior patrimônio do CREA-GO são os profissionais responsáveis pelo desenvolvimento nas áreas das engenharias, das tecnologias, da ciência e da inovação em nosso Estado”, disse.

De acordo com o engenheiro, há anos, esse patrimônio não é o motivador, não é a base, não é o sujeito principal das decisões, das ações e da atuação do CREA-GO. Da mesma forma, para Idalino, o Conselho está alheio às transformações que ocorrem nas relações de produção, especialmente nos campos do desenvolvimento tecnológico que têm impacto direto no exercício das profissões ligadas ao Conselho e no progresso econômico e social do estado.

Como candidato à presidência do CREA-GO, Idalino Hortêncio firma os compromissos de voltar o Conselho para os profissionais e a sociedade e de redimensionar sua atuação, contribuindo para fortalecer o papel dos profissionais e empresas no enfrentamento dos desafios e na construção dos avanços para os próximos anos do século 21.