Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Michael Kors compra Versace por US$ 2,12 Bilhões

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Jonathan Akeroyd, CEO da Versace; Donatella Versace, diretora criativa da grife; e John D. Idol, CEO da Michael Kors (Foto: Ravi Rezvani)

O grupo de moda Michael Kors anunciou hoje (25) a compra da grife italiana Versace. O acordo bilionário, avaliado em cerca de US$ 2,12 bilhões (R$ 8,6 bilhões), é mais um passo na estratégia de crescimento da empresa americana, que visa uma presença maior no mercado europeu.

A compra da Versace é o segundo negócio feito pela companhia em busca de se tornar um conglomerado de marcas de luxo. Conhecida por suas bolsas de couro, a Michael Kors adquiriu ano passado a grife britânica de sapatos de luxo Jimmy Choo por US$ 1,2 bilhões.

O grupo americano também aposta na compra da Versace como uma forma de transformar a imagem de marca “mais acessível” que a Michael Kors possui. Além disso, o acordo beneficia a grife italiana, que no ano passado, voltou a ter um lucro líquido.

Gianni e Donatella Versace (Foto: Divulgação)

A venda da Versace representa mais uma aquisição de grifes italianas por companhias estrangeiras. Outras marcas históricas e de tradição na moda do país, como Gucci e Fendi, passaram nos últimos 20 anos para o controle de grupos econômicos franceses.

Fundada em 1978 por Gianni Versace, a grife é conhecida por seus designs diferenciados e a logo de Medusa, icônica no mundo da moda. Hoje, a marca é comandada por Jonathan Akeroyd, atual CEO, e tem Donatella Versace, irmã de Gianni, como diretora artística e vice-presidente. Os dois continuarão com suas posições mesmo após a aquisição da Michael Kors.

Acordo

Look do desfile de Primavera 2019 da Versace (Foto: Jacopo Raule)

As negociações para a compra da Versace começaram antes de junho. No período, a grife italiana estava no radar de diversos investidores com a notícia da suposta saída de Blackstone, empresa americana que comprou 20% das ações da Versace em 2014, do grupo.

Com a compra da grife italiana, a Blackstone, segundo a agência de notícias Reuters, deve ganhar 156 milhões de euros ao vender suas ações. A família Versace, dona de 80% das ações, deve receber 150 milhões de euros em ações da Capri Holdings Limited, nome do grupo formado pela grife italiana, Michael Kors e Jimmy Choo.

A aquisição da Versace, segundo o comunicado da empresa, não está sujeita a condições de financiamento. Ela utilizará recursos em caixa e empréstimos firmados com os bancos JPMorgan Chase Bank e Barclays.A expectativa é que a transação seja concluída até o final do quarto trimestre, com o recebimento das aprovações regulatórias necessárias.

Mudanças

Gianni Versace e modelos com trajes da grife (Foto: Divulgação)

Entre as metas da Capri Holdings para a Versace, o conglomerado visa aumentar o número de lojas da grife de 200 para 300, além de expandir a receita obtida com acessórios e sapatos de 35% para 60% do total.

Donatella Versace se manifestou otimista com a aquisição. “Nós acreditamos que ser parte deste grupo é essencial para o sucesso à longo prazo da Versace. Minha paixão nunca esteve tão forte”, disse a vice-presidente.

John Idol, diretor executivo da Michael Kors, também ressaltou a importância da compra da grife para a Capri Holdings. “A aquisição da Versace é uma etapa importante para nosso grupo. Com nossos recursos, pensamos que a Versace crescerá para superar US$ 2 bilhões de faturamento”, afirmou, em comunicado.

Para Donatella, a compra da Versace permitirá que a grife atinja todo o seu potencial. “Estamos todos muito animados para participar de um grupo liderado por John Idol, a quem eu sempre admirei como visionário, bem como um líder forte e apaixonado”.

(Via Vogue, ReutersG1 e O Globo)