Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Prêmio seleciona melhores fotos de vida selvagem em 2021

WPY, premiação organizada pelo Museu de História natural de Londres, premiou fotógrafos de vida selvagem do mundo inteiro
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
WPY
Esta fotografia, tirada no Atol de Fakarava no Pacífico, deu ao francês Laurent Ballesta a honraria de Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano (FOTO: LAURENT BALLESTA/WPY)

Parece uma explosão de baixo d’água, ao ponto de até ser difícil de entender. Vários peixes se apressam para soltar seus espermatozoides enquanto uma fêmea solta uma “explosão de óvulos”. Esta fotografia, tirada no Atol de Fakarava no Pacífico, deu ao francês Laurent Ballesta a honraria de Fotógrafo de Vida Selvagem do Ano.

O presidente do júri que decide os vencedores, Roz Kidman Cox, argumentou que a foto foi uma verdadeira “façanha técnica”, principalmente pelos detalhes de planejamento: Roz tirou a foto durante a lua cheia e sabia exatamente o momento para capturá-la.

“Passamos cinco anos neste lugar, foram 3 mil horas de mergulho, para obter este momento particular. Sou atraído por esta imagem pela nuvem de óvulos: parece quase um ponto de interrogação de cabeça para baixo. É uma pergunta sobre o futuro desses óvulos porque apenas um em um milhão irá sobreviver para se tornar um adulto, mas talvez seja mais simbólica, a respeito do futuro da natureza. É uma questão muito importante sobre o futuro da natureza” conta o fotógrafo.

Lançado em 1964, o WPY é uma premiação organizada pelo Museu de História Natural de Londres. O concurso atrai milhares de inscrições todos os anos e é o principal prêmio da área.

WPY – Conheça alguns dos vencedores do Prêmio

O Elefante na Sala

WPY
(FOTO: ADAM OSWELL/WPY)

No campo de “fotojornalismo”, Adam Oswell ganhou o prêmio com uma fotografia de um zoológico da Tailândia, mostrando dezenas de visitantes assistindo a apresentação de um elefante.

O toque de cura

WPY
(FOTO: BRENT STIRTON/WPY)

Brent Stirton venceu o prêmio de Fotojornalista de História, com uma sequência da imagens que traça o perfil de um centro de reabilitação que cuida de chimpanzés que ficaram órfãos. A diretora do centro aparece mostrando um chimpanzé recém-resgatado e outros sob sua tutela.

Cabeça com Cabeça

WPY
(FOTO: VIDYUN R HEBBAR/WPY)

Na categoria Comportamento: Mamíferos, o vencedor foi Stefano Unterthiner, que testemunhou duas renas brigando pelo controle de um hárem, em Svalbard no ártico norueguês.

Reflexos

WPY
(FOTO: MAJED ALI/WPY)

A foto de Kibande, uma gorila de 40 anos, venceu a categoria Retratos de Animais. O fotógrafo, Majed Ali, precisou caminhar por quatro horas no Parque Nacional Impenetrável de Bwindi, no sudoeste de Uganda, para encontrar a primata.

Indiano de 10 anos leva prêmio de “Fotógrafo Júnior”

WPY
(FOTO: VIDYUN R HEBBAR/WPY)

Com apenas 10 anos de idade, o indiano Vidyun R Rebbar foi considerado o “Fotógrafo Júnior de Vida Selvagem” do ano, pela foto da aranha Cyrtophora Citrícola em sua teia.

“O foco é precisamente nítido. Você realmente consegue ver as pequenas presas ao ampliar a imagem. Eu amo a maneira como foi emoldurada e como você consegue ver toda a textura da teia, sua estrutura entrelaçada” explicou Roz, jurado do prêmio, à BBC News de Londres.

Você pode ver outras fotos do concurso aqui.