Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Em formato on-line, Festival Bananada apresenta Bananada BR com shows inéditos de 30 artistas

Como um programa de TV, evento proporcionará que o público confira nomes de diversas regiões do Brasil distribuídos em 9 datas entre os meses de novembro e dezembro
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
A edição Goiás estreia o projeto. Entre os shows, o público contará com Boogarins (Divulgação)

O Festival Bananada apresenta, pela primeira vez, o Bananada BR, produção audiovisual que une música e conteúdos exclusivos com mais de 30 artistas de diversas regiões do Brasil.

A novidade é mais uma forma de explorar narrativas sob o olhar de descoberta e aprendizado de diferentes formatos, ocupando também novos canais com o público. Dessa forma, o Bananada BR aproxima, ainda que à distância, os diferentes estilos, gêneros e artistas brasileiros durante três finais de semanas entre novembro e dezembro, em nove episódios com nomes importantes como Juçara Marçal, Boogarins e Tuyo, e outros tantos que contemplam as edições Goiás, Nordeste/Sul e Sudeste/Norte.

“Em 2021, ainda impossibilitados de exercer nosso modelo de negócio de forma plena presencialmente, e com o desejo de continuidade ao projeto Bananada como um todo, nos propusemos a reforçar um dos mais importantes pilares da plataforma: o fomento à intersecção, troca e circulação musical no país. Daí, o Bananada BR. Contemplando atrações de todas as regiões do país, o projeto segue exercendo o mesmo papel que todas as edições do Festival Bananada tiveram: agir com um polo de música contemporânea do centro do Brasil e um ponto de intersecção da arte que vem sendo criada em nosso país e no mundo”, conta o produtor Lucas Manga, diretor de conteúdo da plataforma.

Edições por região

Com uma programação que engloba música e breves entrevistas, o projeto audiovisual, que se aproxima do formato de programa de TV, é dividido em três regiões: Goiás, Nordeste/Sul e Sudeste/Norte, que foram gravadas em estúdios entre São Paulo e Goiânia.

Sobre o formato, Giovanna Villefort, diretora artística do Bananada, completa: “Através da nossa curadoria, procuramos apresentar artistas de todos os cantos do Brasil. Quando você vem de uma iniciativa descentralizada regionalmente, você é levado a entender o quão importante é conhecer e reconhecer a música, arte e cultura feitos em todos os cantos do país, além dos grandes centros. Acreditamos que os artistas convidados a compor a programação do Bananada BR formam um recorte do que está acontecendo de mais interessante na música brasileira atual.

À frente da direção executiva do Bananada, Daianne Dias comenta sobre a captação de recursos para o novo Bananada BR: “É sempre um desafio, tanto para eventos físicos quanto on-line. Quando fomos aprovados no edital da Funarte, conseguimos fôlego para continuar pensando em música. Nossa parceria com Devassa sempre rendeu ótimos frutos nos presenciais e agora para essa edição virtual, o apoio da marca foi de extrema importância para colocar em prática esse novo desenho de programação que propusemos. Investir em cultura é preciso e vale a pena!”, explica.

A edição Goiás estreia o projeto, nos dias 5, 6 e 7 de novembro, com Boogarins, Carne Doce, Davi Sabbag, Bruna Mendez e mais. Em 19, 20 e 21 do mês, o público aproveitará a edição Nordeste/Sul, com Tuyo, Kaê Guajajara, Don L, Larissa Luz e, no mês seguinte, dias 3, 4 e 5 de dezembro, o Bananada BR fecha com a edição Sudeste/Norte, com Juçara Marçal + Kiko Dinucci, Felipe Cordeiro, Victor Xamã, Troá!, Tulipa Ruiz, Aíla, e mais.

Artes visuais

Serigrafia de Marcelo Solá (Foto: Patrícia Soransso)

Tradição do Festival Bananada, a identidade artística é um ponto forte de identificação e posicionamento. Todos os anos, o evento convida um artista para a criação do cartaz oficial – que ilustra e carrega a identidade visual de toda a edição. Dessa vez, a obra não foi encomendada, mas coube exatamente no cenário em que estamos vivendo, e que o público poderá contemplar a partir da arte do renomado artista goiano Marcelo Solá.

“Eu vejo o Bananada como um momento de oxigênio na cidade, ele nos traz a possibilidade de nos inteirarmos com o ambiente musical novo, com as novas bandas, o que tá rolando atualmente. E a diversidade, a contemporaneidade do evento que transcende só um festival de rock, ele é um festival de tendências”, comenta.

Seu trabalho está orientado para a nova área limítrofe do desenho, um desenho-pintura, que vem ganhando características fora do gênero, e possui obras em coleções públicas tais como MAM (SP), MAR (RJ) e no Museu de Arte de Recife (PE). A arte que para o Bananada BR foi extraída de um caderno com anotações que dão origem às obras de Solá, e ampliado em uma serigrafia, na qual o artista escolheu as cores azul e vermelho em uma atmosfera estridente e que, de longe, traz uma sensação de 3D.

“Eu escrevo uns minis poemas, mas alguns deles vão sendo apagados e desenho em cima, de forma que torne quase que impossível a leitura. E durante esse processo vão se criando formas, estruturas que às vezes se remetem a animais imaginários, de um universo onírico, às vezes povoados por contos de fada, desenho animado, tudo misturado”, finaliza.

Serviço:
Bananada BR
05, 06 e 07/11 – Edição Goiás:
Boogarins, Carne Doce, Bruna Mendes, Davi Sabbag, Carabobina, Aurora Rules, Fred Valle ft. Adriel Vinícius, Mílian, Cristiane Perné, Mundhumano, João Thomé, Ceciloui e La Rossa.
19, 20 e 21/11 – Edição Nordeste/Sul: Don L (CE), Larissa Luz (BA), Tuyo (PR), Lúcio Maia (RN), Luana Flores (PB), RRocha (RS), Lau e Eu (SE), Kaê Guajajara (MA/RJ) e Fusage (PR).
03, 04 e 05/12 – Edição Sudeste/Norte: Juçara Marçal ft. Kiko Dinucci (SP), Tulipa Ruiz (SP), Felipe Cordeiro (PA), Troá! (RJ), Victor Xamã (AM), ÀIYÉ (RJ), Aíla (PA), Olympyc (SP), Lô Bento (GO/RO).
Para acessar: linktr.ee/bananada