Dia do Cinema Brasileiro: confira 10 filmes para assistir e prestigiar o audiovisual nacional

Lista conta com produções reconhecidas e premiadas internacionalmente
Dia do Cinema Nacional
Central do Brasil (Foto: Divulgação/Europa Filmes)

Nesta quarta-feira, dia 19, coemora-se o Dia do Cinema Brasileiro. A data é uma ótima ocasião para reconhecer os talentos da nossa indústria audiovisual, que têm o dom de transformar histórias, contos, músicas e mitologias em verdadeiras obras-primas cinematográficas. Seja retratando o fictício ou o real, essas produções exploram a riqueza da nossa cultura e a diversidade regional, capturando a essência do viver brasileiro. Para marcar essa data especial, selecionamos 10 filmes que representam o melhor do audiovisual nacional. Confira:

Central do Brasil

Estrelado por Fernanda Montenegro, tanto a atriz quanto o filme foram indicados ao Oscar de 1999. Focando no regionalismo nordestino em contraste com o caos do centro do Rio de Janeiro, o longa retrata a jornada de Dora, uma escritora de cartas, e Josué, um menino em busca de seu pai. Para assistir a esta produção, você pode acessar tanto a Netflix quanto o Globoplay.

Que horas ela volta?

Regina Casé é a estrela desta produção, que traz reflexões sobre as condições de trabalho doméstico no Brasil. Retratando a vida de uma pernambucana que sacrificou sua própria vida em prol do trabalho e do cuidado de outras pessoas, “Que horas ela volta?” é uma obra sensível e tocante sobre o cotidiano de diversas mulheres brasileiras. Este filme está disponível na Netflix e no Globoplay.

As Duas Irenes

O enredo de As Duas Irenes aborda a amizade e as aventuras da adolescência, contando a história de uma garota de 13 anos que descobre que seu pai tem outra filha fora do casamento, também chamada Irene. Dirigido pelo goiano Fábio Meira, o filme foi eleito pelo público como a melhor produção da Semana Internacional de Cinema de Valladolid, na Espanha. “As Duas Irenes” está disponível na plataforma Netflix.

Hoje eu quero voltar sozinho

Lançado em 2014, Hoje eu quero voltar sozinho é uma ótima opção para prestigiar o cinema e a diversidade, especialmente durante o mês do orgulho LGBTQIA+. A produção retrata Leo, um adolescente com deficiência visual, e sua descoberta de sua sexualidade com o colega de sala Gabriel. Tornou-se um clássico de “coming of age” na comunidade LGBTQIA+ e está disponível na Netflix e no Globoplay.

Marighella

Este filme conta a história de Carlos Marighella, ex-deputado federal pela Bahia e cofundador da Ação Libertadora Nacional (ALN) durante a ditadura civil-militar. Marighella ficou conhecido internacionalmente como o guerrilheiro que liderava planos e ataques contra o governo e foi declarado inimigo público número um. “Marighella” está disponível no Globoplay.

Motel Destino

Dirigido por Karim Aïnouz, estreou no Festival de Cannes de 2024 ao lado de grandes produções. Com Fábio Assunção no elenco, retrata um jovem assaltante de banco procurando refúgio em um motel à beira da estrada. Com foco no regionalismo nordestino e no gênero de ação, tem estreia marcada para 14 de novembro deste ano.

Olga

Baseado na biografia de Olga Benário, membro do Partido Internacional Comunista enviada ao Brasil para auxiliar o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Olga, alemã de origem judaica, foi presa e deportada para a Alemanha após a Intentona Comunista de 1935. Lá, foi executada em um campo de extermínio. A produção está disponível no Globoplay.

O Auto da Compadecida

Mesclando um elenco de peso, como Fernanda Montenegro, Selton Mello e Matheus Nachtergaele, com humor e a obra de Ariano Suassuna, “O Auto da Compadecida” é uma das obras mais memoráveis do cinema nacional. Retrata as desigualdades sociais de forma humorada e consciente e está disponível no Globoplay.

O Céu de Suely

Dirigido por Karim Aïnouz, retrata a volta de uma mãe jovem com seu filho para o sertão do Ceará. Permite reflexões sobre maternidade e juventude, com Suely decidindo rifar uma noite com ela no paraíso para arrecadar dinheiro para fugir da realidade. A trilha sonora completa a narrativa, apresentando os principais sucessos do forró cearense de 2003. Disponível na Netflix.

Reflexões de um liquidificador

Estreado em 2010 nos cinemas do Brasil, o filme retara a vida de dona Elvira, uma senhora do subúrbio paulistano enfrentando problemas no relacionamento com seu marido. O suspense e o humor ácido tornam-se protagonistas da história, deixando a trama envolvente. O filme está disponível no Globoplay.

Deixe um comentário


Confira também