Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Wellington Costa e Rodrigo Mendonça são campeões da Super Production no Sertões 2021

A dupla da WCosta Rally Team cumpre objetivo da temporada, chegando com o segundo melhor tempo na oitava e última etapa da maior competição fora de estrada das Américas
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
A etapa deste sábado determinou os campeões da edição 2021 do Sertões Foto: Vinicius Branca/Fotop

Wellington Costa e Rodrigo Mendonça, da WCosta Rally Team, de Maricá (RJ), se sagram campeões entre os carros da Super Production na 29ª edição do Sertões. Com o segundo melhor tempo obtido na oitava e última etapa da maior competição de rali das Américas, eles conservaram a liderança na categoria e conquistaram o primeiro título juntos. Neste sábado, a dupla completou os 152 quilômetros do trecho cronometrado, entre Delmiro Gouveia e Arapiraca, no Estado de Alagoas, em 03h18min42seg e acumulou 41h17min07seg para os 2.069 quilômetros de especiais do evento, no total geral cronometrado da categoria

Alguns percalços e uma certa dose de sorte levaram a equipe fluminense ao campeonato inédito. Nesta edição do Sertões, foram três vitórias, incluindo o prólogo, uma vice-liderança, dois terceiros lugares, uma quarta posição e duas provas não completadas. Emoção foi o que não faltou aos torcedores do time.

“Este foi um título da dedicação, da persistência e da resiliência”, comemora Wellington Costa. “Nossa estratégia hoje foi de administrar o resultado, pois começamos a especial com mais de 42 minutos de vantagem em relação ao segundo colocado. Por isso que no km 100 permitimos a passagem do (Marcos) Baioto e passamos a imprimir um ritmo mais tranquilo. Nossa equipe foi muito dedicada e este título também é dela. Tenho gratidão por todos eles, formamos uma família, tamanho era o comprometimento de todos, e esta foi a receita para a vitória”, relata o piloto.

“Vencer uma competição como o Sertões é para poucos e fico imensamente honrado e feliz por ter conseguido. Não adianta só ser bom e rápido. É uma reunião de muitos fatores, como o investimento, por exemplo. Agora é comemorar o título e nos prepararmos para o ano que vem”, completa.

Wellington Costa / Rodrigo Mendonça trouxeram uma equipe 100% de Maricá/RJ Foto: Magnus Torquato/Fotop

Para o navegador Rodrigo Mendonça, que correu o maior rali das Américas pela primeira vez, sua dedicação e persistência foram determinantes para seu primeiro campeonato. “Estou muito feliz pela conquista da vitória, em meu ano de estreia no Sertões. Isso foi fruto de muita preparação. Acredito que agora colhi os frutos do que venho plantando há muito tempo”, festeja.

Neste sábado, a caravana dos Sertões partiu para a final da maior competição fora de estrada das Américas. A etapa do dia teve o menor deslocamento desta edição – um total de 249 quilômetros, somando os trechos inicial, cronometrado e final, atravessando boa parte do Estado de Alagoas, entre Delmiro Gouveia e Arapiraca. A especial do dia, de 152 quilômetros, foi “curta e grossa”, e nem por isso menos difícil ou menos prazeroso do que foram todas as etapas até aqui. Começou percorrendo por fazendas, em trilhas sinuosas. Estava prevista a travessia de rio, mas devido às condições climáticas este pedaço foi cancelado e substituído por zona de radar. A seguir, o percurso incluiu trechos em trial de pista estreita, de média complexidade.

Na sequência, a trilha continua fechada, mas permitiu acelerações mais rápidas, mas não tão altas. No terço final, voltou a ficar travada, ainda estreita, em trilhas que exigiram bastante da navegação, e que terminaram no alto de uma serra. Na continuação, uma descida espetacular de 300 metros. Os 30 quilômetros finais do trecho cronometrado foi de muita quebradeira. Nova série de triais bem estreitos, em lajes, que demandaram muita perícia na pilotagem para não estragar o equipamento. No meio deles, dois cotovelos considerados a “cereja do bolo” do dia. Saindo dos triais, a especial seguiu prazerosa até o final. Os conjuntos, na sequência, partiram em deslocamento final de 87 quilômetros, até o planetário e Casa da Ciência de Arapiraca, onde está o acampamento da “Vila Sertões”.

Resultado da 8ª Etapa – Super Production (Extra-Oficial):

1º) Marco Baioto/ Tony Matias
2º) Wellington Costa/ Rodrigo Mendonça
3º) Luiz Eduardo Manara/ Leonardo Telles
4º) Filipe Maciel/ Rodrigo Faiad
5º) Gerson Wessler/ Luan Dutra
6º) Alessandro Vieira/ Maria José Duarte