Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Motos elétricas também serão atração no “Veículo Elétrico Latino-Americano”

O universo das duas rodas também estará presente no "Veículo Elétrico Latino-Americano", semana que vem, com o lançamento de novos modelos de motos e o anúncio da produção nacional de motocicletas elétricas.
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Shineray SHE 3000 Fotos: Divulgação

Pelo menos duas marcas de motos elétricas confirmaram presença no “Veículo Elétrico Latino-Americano”: Shineray e Bull Motors. A Shineray anuncia que fará três lançamentos: as motos SE1, SE2 e SHE 3000 – que chegam às lojas entre novembro e o início de 2022. A Bull revela a produção local das suas motos elétricas.

Segundo José Edson, diretor de Operações da empresa, a Shineray levará cerca de 17 veículos, incluindo 10 modelos diferentes, entre scooters (derivados de patinetes elétricos, com 2.000 W de potência) e cicloelétricos de 2.300 W.

O modelo SHE 3000, por exemplo, é um Street elétrico, com potência de 3.000 W, o que vai proporcionar um aumento de desempenho significativo em relação aos modelos atuais. A SHE 3000 terá autonomia de até 120 km e será capaz de atingir uma velocidade de 80 km/h.

As motos elétricas da Shineray custam entre R$ 7.390 e R$ 16.990 em Recife (PE) – para outras regiões, o preço muda um pouco em função de frete e impostos. A Shineray vendeu, incluindo motos à combustão, perto de 20.000 unidades em 2020 e planeja dobrar esse volume neste ano. Suas vendas de elétricos tiveram início em janeiro de 2021 e devem atingir entre 8 e 10 mil veículos até dezembro (volume já incluso na previsão de 40.000 unidades).

Motos elétricas montadas em Pernambuco

As suas motos elétricas são importadas desmontadas (CKD) e montadas em sua fábrica de Cabo de Santo Agostinho (PE). A Shineray tem cerca de 160 revendas e todas comercializam produtos à gasolina e elétricos, mas a empresa decidiu criar, em paralelo, uma rede exclusiva para os elétricos.

Já existem seis concessionárias exclusivas de motos elétricas em São Luis (MA), Recife (PE), Aracaju (SE), Salvador (BA), Maceió (AL) e João Pessoa (PA) – e quatro serão abertas em 2021, em São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE) e Rio de Janeiro (RJ). “Até dezembro, teremos 10 lojas exclusivas para elétricos no estado de São Paulo”, revela o executivo.

Modelo Eko Hunter, da linha Íon, da Bull Motors.

Criada em 2003, a Bull Motors comercializa suas motos elétricas desde 2015 com a marca Íon. A empresa comercializa três modelos (com preços entre R$ 11.499 e R$ 13.499), e todos serão expostos em seu estande. Os modelos Eko City e Eko Sport possuem potência de 1.200 W, enquanto o Eko Hunter tem 2.000 W.

Modelo Eko City, da linha Íon, da Bull Motors.

Bull Motors anuncia produção local

São mais de 320 pontos de vendas, sendo três na capital paulista. A empresa vendeu 300 motos elétricas no ano passado e tem uma meta bem planejada para os próximos anos, atingindo 1.000 unidades em 2022 e chegando a 4.400 em 2024.

As motos elétricas da Bull são montadas em Aparecida de Goiânia (GO), pelo regime CKD, num investimento de R$ 10 milhões. Mas a empresa está investindo mais R$ 10 milhões para iniciar a produção local de suas elétricas, em local ainda não divulgado.

“100% dos fornecedores serão brasileiros. Vamos democratizar esse tipo de veículo a partir de 2022. Os preços vão cair de 15% a 20%. É um produto que veio para ficar”, informa Felipe Nunes, diretor Financeiro e de Operações da empresa.

As motos da Bull são equipadas com baterias que possuem Grafeno em sua composição, o que lhes garante maior durabilidade e autonomia. É a única empresa do País a utilizar essa tecnologia. A Bull Motors ainda possui descarte certificado das baterias.