Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Equipe Can-Am Monster Energy Varela Racing vence a primeira etapa do RN1500

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Reinaldo Varela e seu navegador Gunnar Dums/Foto: Sanderson Pereira

Começou ontem (30), em Campina Grande, na Paraíba, a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country 2021. E, logo na estreia, o piloto Reinaldo Varela e o navegador Gunnar Dums, da equipe Can-Am Monster Energy Varela Racing, fizeram o melhor tempo entre os 55 participantes.

O RN 1500, com duração de quatro dias, contemplará trechos inéditos e desafiadores para os pilotos. “Neste primeiro dia, tivemos que andar com cuidado, mas sempre buscando o nosso limite quando possível”, comentou Reinaldo Varela. “Havia sempre o risco de um acidente, mas o Gunnar fez um trabalho perfeito com a navegação. Em alguns momentos ele indicava o caminho e dizia ‘Pisa fundo agora!’. Segui à risca. Ele não errou um milímetro do percurso. Outro ponto forte foi o desempenho do nosso carro. Depois da primeira etapa, no Jalapão, fizemos uma revisão geral e encontramos alguns detalhes para melhorar. Pelo visto encontramos boas soluções”, completou o piloto da equipe Can-Am Monster Energy.

Conhecido pela diversidade de terrenos e o alto nível técnico, o primeiro dia demonstrou que os pilotos Can-Am estão preparados para o restante do Rally RN 1500. Para Bruno Varela, terceiro colocado geral na categoria UTV na prova, com o tempo de 02h54min24seg, a competição está cada vez mais acirrada. “Hoje foi bem técnico e precisamos muito do trabalho dos navegadores. Enfrentamos diversos trechos de serra com pedras, o que dificultou ainda mais. Porém, conseguimos andar bem e ficar na terceira colocação”, disse o piloto, elogiando a parceria e o trabalho de seu navegador Ivo Mayer. “Minha experiência com o Ivo foi muito boa, um navegador multicampeão, ganhador do último Sertões. Conseguimos nos comunicar bem e chegamos a um bom resultado”, comemorou Bruno.

Gabriel Varela e Filipe Bianchini ficaram com a quarta posição geral de hoje, marcando o tempo de 02h55min11seg. “A prova foi bem difícil, com cerca de 180 quilômetros e alguns contratempos, mas conseguimos nos recuperar. A ajuda do Filipe foi imprescindível para esta conquista. Correr o RN 1500 é sempre gratificante. Mesmo sendo uma prova bem técnica, as belas paisagens compensam todo o esforço”, analisou Gabriel.

Deni Nascimento e Idali Bosse/ Foto: Sanderson Pereira

Deni Nascimento e seu navegador Idali Bosse terminaram a prova de hoje com o sexto melhor tempo, registrando 02h56min13seg. Bastante animado para o início da competição, o pilotou acabou enfrentando alguns contratempos no percurso, mas se recuperou a tempo de conseguir uma boa posição. “Hoje, acabamos largando em 10ª por conta do resultado que tivemos na última prova. Perdemos alguns minutos no quilômetro 72 por conta de referências. Agora vamos descansar para amanhã largar bem e conseguir uma melhor posição”, projetou Deni e finalizou:

“O trecho de hoje tinha muita pedra, o que não nos permitia errar. Caso saíssemos um pouco do caminho, corríamos o risco de furar um pneu e perder ainda mais tempo, mas nesse quesito andamos bem. Agora, é nos preparar para o restante da competição”.

A segunda etapa terá largada na capital paraibana e chegará em Parelhas (RN), cruzando o famoso Seridó, no Sertão de Pedras. A terceira sairá de Parelhas e seguirá até Mossoró (RN), atravessando o Geoparque Seridó, área de preservação geológica, histórica e cultural. A última e mais esperada prova, de Mossoró a Natal (RN), única com vista para o mar, terá 810 km de trechos cronometrados.

Resultados extraoficiais – dia 3 (Geral)

  1. Reinaldo Varela e Gunnar Dums
  2. João Valentim da Costa e Breno Rezende
  3. Bruno Varela e Ivo Mayer
  4. Gabriel Varela e Filipe Bianchini
  5. John Monteath e Paulo Medina
  6. Deni Nascimento e Idali Bosse
  7. Richard Fliter e Andre Munhoz
  8. Gustavo Zanforlin e Marcos Melado
  9. Luis Tiburcio Melo e Artur Teixeira
  10. Gabriel Cestari e Jonathan Artigo