Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Mercado imobiliário: possibilidade de personalização durante a obra agrada compradores

Clientes procuram evitar problemas com obras após receber imóvel e contribuem com a sustentabilidade, além de economizar
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Divulgação)

Para a maioria das pessoas, obra é sinônimo de dor de cabeça. Afinal, os relatos de atrasos e gastos muito maiores que os previstos não são incomuns. O custo de uma reforma de um apartamento recém-entregue projetado por um arquiteto, por exemplo, varia entre R$ 1.000 e R$ 4.000 por metro quadrado, dependendo dos materiais utilizados. A obra pode sair do planejado e acabar custando muito mais, sem falar de ter de lidar com questões envolvendo descarte correto de entulhos, prazos, lidar com fornecedores, trabalhadores, barulho, quebradeira e ainda demorar para finalmente poder se mudar para o novo lar.

Para facilitar a vida do cliente, a Opus Incorporadora oferece a possibilidade de personalização de todos os seus produtos, seja residencial ou comercial, em Goiânia. Quem comprou na planta, em determinado momento da construção, é convidado pela Central de Relacionamento com o Cliente para conhecer os kits de decoração oferecidos pela empresa. A pessoa pode ainda fazer um projeto com um arquiteto particular e apresentá-lo à construtora para ser aprovado.

“Independentemente da personalização escolhida pelo cliente, se a que ele apresentou ou se as oferecidas pela empresa, ele receberá seu imóvel com o mesmo alto padrão de execução e qualidade dos apartamentos do empreendimento. É uma forma de poupá-lo do trabalho posterior de adaptação do imóvel às suas necessidades e ainda dar uma possibilidade a mais de satisfação com o nosso trabalho”, salienta o diretor da Opus Incorporadora, Dener Justino. Optando pela personalização, o cliente também contribui para a sustentabilidade da obra, pois evita a geração e descarte de novos entulhos após receber sua unidade.

Existe ainda a economia, pois quando o apartamento é entregue o comprador já pagou por tudo que há nele, incluso no valor do imóvel. E, ao efetuar reformas após a entrega, ele pagará para remover o que está instalado e arcará com novos custos pelos produtos e pela mão de obra. Ou seja, pagará três vezes pela mesma coisa. “Outra economia é referente à parte de instalações. Por exemplo, um cliente que queira reposicionar um ponto de água na personalização, terá somente o custo referente a essa mudança do local. Se deixar para fazer após a entrega, além do custo do ponto de água, possivelmente terá custos de reposição de revestimentos, além de mão de obra”, explica Dener.

Personalização

Uma pesquisa da Dessault Systèmes indica que consumidores querem produtos personalizados: 83% dos consumidores esperam que os produtos ou serviços se adaptem às suas necessidades. Eles estão dispostos a pagar em média até 25,3% a mais pela customização. De acordo com levantamento feito pela Opus Incorporadora, o serviço de personalização tem uma receptividade boa entre os clientes. No já entregue Opus Araguaya, 63% dos moradores optaram pelo serviço. Em estágio avançado de obras, os compradores do Opus Acqua aderiram bastante ao sistema: 74% das unidades vendidas foram personalizadas.

O valor da personalização é de acordo com os kits disponibilizados pela empresa, e em projetos particulares ele varia segundo os materiais escolhidos pelo cliente. “Se ele nos apresenta um projeto particular cujo, por exemplo, o piso é mais barato do que aquele que seria entregue por nós, a diferença é abatida no valor total. Se for um material mais caro, a diferença é acrescentada”, explica Dener Justino, ressaltando ainda que por comprar em maior quantidade e ter uma gama de fornecedores, os materiais podem sair com um preço melhor do que uma compra particular, para apenas uma obra.

Diretor da Opus Incorporadora, Dener Justino (Divulgação)