VIAGEM - 01/10/2018

Se encante pela terra santa de Israel


Vista da Cidade Velha, em Jerusalém (Foto: Divulgação)

Cenários incríveis em uma terra que respira história – este é Israel, estado criado no Oriente Médio em 1948 para abrigar os judeus e local de origem das três das maiores religiões monoteístas do mundo moderno: o Cristianismo, o Judaísmo e o Islamismo.

Apesar de ser o principal destino do turismo religioso mundial, não é preciso crer ou participar de alguma religião para se encantar com Israel. O território, milenar, mas de uma nação tão jovem, foi centro de grandes disputas e acontecimentos da história ocidental. Estar no local é fascinante e permite experiências únicas, que somente podem ser vividas lá.

Muro das Lamentações, em Jerusalém (Foto: Divulgação)

Uma visita à Israel deve ser iniciada no princípio de tudo – pela capital, Jerusalém. Na cidade, estão os principais pontos de interesse, como o Monte Sião, onde se pode visitar o Cenáculo, o lugar onde foi realizada a Última Ceia de Jesus e onde está enterrado o Rei David.

Outros locais imperdíveis são o Muro das Lamentações, assim como outros pontos da Cidade Velha, tal qual a Via Dolorosa, o Santo Sepulcro, o Cardo, Domo da Rocha, o centenário Jardim Getsêmani e o Monte das Oliveiras, de onde se pode ter uma belíssima vista panorâmica da capital. 

Santuário do Livro, no Museu de Israel, em Jerusalém (Foto: Divulgação)

Ainda em Jerusalém, na Cidade Nova, o destaque fica por conta do Museu de Israel, o mais completo do Estado e um dos mais importantes de artes e arqueologia do mundo. Nele, se destaca o Santuário do Livro, onde é possível encontrar cerca de 930 manuscritos do Mar Morto, que revelam regras de higiene e valores éticos e comunitários da época. Estima-se que estes documentos, escritos em aramaico, hebraico e grego, sejam os registros mais antigos do Velho Testamento já encontrados.

Outro ponto a ser visitado em Jerusalém é o Museu do Holocausto, ou Yad Vashem, que mantém viva a memória da perseguição aos judeus durante a história, especialmente durante a época do nazismo. Na capital, também não se pode deixar de ir até à Torre de David e o Knesset, o Parlamento israelense. 

Igreja da Natividade, em Jerusalém (Foto: Divulgação)

Fora da capital, Belém, Nazaré e Tel Aviv são outras cidades que merecem ser visitadas. Belém, localizada nas Montanhas da Judéia, no Estado da Palestina, conta com a Basílica da Natividade, uma das mais antigas igrejas ainda em uso do mundo. Reza a lenda que o templo, construído sob a estrutura de uma caverna, marque o local exato do nascimento de Jesus.

Nazaré é o segundo centro de peregrinação mais procurado de Israel. Foi lá, de acordo com a Bíblia, que o Anjo Gabriel anunciou à Virgem Maria que ela geraria uma criança e onde Jesus passou toda a infância com os pais. Na cidade, é interessante visitar a Basílica da Anunciação, que marca exatamente o local onde Gabriel teria aparecido a Maria.

Basílica da Anunciação, em Jerusalém (Foto: Divulgação)

Cafarnaum, cidade natal de Simão e Pedro, apóstolos de Jesus, é outro grande atrativo turístico de Nazaré, com lindas ruínas. Vale visitar também Tabgha, o local do milagre da multiplicação dos pães e peixes.

Já Tel Aviv-Yafo é uma cidade com ares modernos, que alia os ecos do passado com um lado cosmopolita. Nela, há muita atividade cultural disponível, como museus, cinemas, bares, restaurantes e shoppings. Outros atrativos são o Mercado Carmel ao ar livre, a Igreja de São Pedro e a Praça Rabin – homenagem ao primeiro ministro de Israel, Yitzhak Rabin, que foi assassinado no local em 1995 e o histórico porto de Jaffa, que tem mais de 4.000 anos de história.

Porto de Jaffa, em Tel Aviv-Yafo (Foto: Divulgação)

(Via Interpoint Viagens e Turismo e Maior Viagem)

Veja também