CASA - 16/01/2019

Cor de 2019, Living Coral incentiva a alegria e a necessidade de otimismo

A Revista Zelo conversou com a designer de interiores Alessandra Gomes para saber mais sobre a tendência



Victor Lisita

Foto: Divulgação

Devido ao caráter enérgico, sociável e espirituoso, o Living Coral (Coral Vivo) foi escolhido como a cor do ano de 2019 pela Pantone, empresa referência em especificação de cores. Feita após uma cautelosa análise de tendências em diversos setores, a escolha inspira as criações de indústrias por todo o mundo, como a da moda, design industrial e movelaria. Por acolher e incentivar atividades alegres, a tonalidade está presente tanto no ambiente natural quanto nos meios digitais, sendo um símbolo da necessidade de otimismo, acolhimento e espontaneidade.

Através de pesquisas que informam ao mercado as projeções para os próximos cinco anos, os especialistas da Pantone observam e investigam pelo mundo quais as novas cores que têm influenciado os mais variados setores, como a indústria cinematográfica, redes sócias e exposições de arte e tecnologia. Por “iluminar o caminho do que ainda está por vir”, segundo a Pantone Color Institue, a tonalidade escolhida para 2018 foi a Ultra Violet, um derivado do azul escuro, mais contemplativa e que possui um forte simbolismo místico.

Aplicação

Foto: Divulgação

Mesmo que a cor evoque boas sensações através do uso no ambiente, a designer de interiores Alessandra Gomes afirma que é preciso tomar cuidado com o emprego em excesso do Living Coral. “Pode resultar em um ambiente super estimulante. Com a presença de muitos objetos e materiais escuros, poderá deixar o espaço pesado e cansativo”, explica. Independente do projeto, a profissional afirma que as escolhas das cores não são aleatórias, devendo ser pensadas criteriosamente de acordo com o propósito do espaço.

O ideal, de acordo com Alessandra, é fazer combinações harmônicas pelo uso de cores análogas, mais próximas ao Coral Vivo no círculo cromático, e complementares (opostas). “Pessoalmente, prefiro utilizá-la em ambientes com tom pastel, mesclando as cores suaves e as vibrantes, tendo o cinza claro, por exemplo, como base, e o coral em detalhes pontuais”. Além disso, a designer de interiores ainda indica que a cor, em tonalidade escura, fica bem com cores terrosas e materiais naturais castanhos, como o vime e a madeira. 

Outra dica da profissional é combinar o Living Coral com metalizados em ferro e rosé gold, que pode ser utilizado no tecido que reveste sofás ou poltronas. Em conjunto com pisos de madeira, a cor pode contribuir para a sensação de aquecimento e acolhimento. “Quando a parede recebe a aplicação, com iluminação adequada, pode-se obter a sensação de sensualidade e intimidade. Ainda, pode contrastar lindamente com o azul, em tons médios e escuros, e com o verde musgo e acinzentado”.

Decorações

Foto: Reprodução/Laskasas

Se existe preocupação quanto aos estilos de decoração, o Coral Vivo pode se adaptar bem tanto com o rústico, devido ao uso de fibras naturais e madeira, quanto com o contemporâneo, que possibilita a fusão de práticas diversos, sendo fácil harmonizar a cor com a estética dos objetos e mobiliário. “Para um toque um pouco mais clássico e sofisticado, é interessante lançar mão de acabamentos metalizados e de tecidos como o veludo, por exemplo”, indica.

Também é possível adequar o Living Coral a decoração já existente, sem que seja necessário um grande investimento para entrar na tendência de 2019. “Ornamentos, quadros, almofadas e no estofamento de uma peça em destaque, como uma poltrona”, exemplifica Alessandra. Com a preferência por uma base mais sóbria, a designer de interiores acha mais fácil agradar uma maior quantidade de pessoas quando apresentada nos detalhes, além de tornar-se interessante e agradável com o azul marinho.

Veja também