Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Pirenópolis ganha estância e cabanas voltadas exclusivamente para casais

Espaço localizado a 120 km de Goiânia e 150 km de Brasília contará com 12 cabanas e será cercada por árvores típicas do Cerrado
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Fotos: Gabriel Arcieri

O estresse provocado pela pandemia e a necessidade de buscar novos espaços para relaxar fizeram com que os casais buscassem ambientes ideais para momentos a dois, após experimentarem momentos de isolamento nos últimos meses. Boa parte (43,4%) são casais com filhos; porém uma parcela significativa de 21,6% prefere a viagem a dois.

Os dados são de pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo em 2019, com 197 agências de todo o Brasil. Já a pesquisa feita pelo site de reservas de hospedagem Hoteis.com, mostra que quase metade dos entrevistados faria uma viagem com um grupo de amigos, mas sem os filhos, se pudessem. A pesquisa foi realizada em 2020 com 522 pessoas acima de 20 anos de idade, de todas as classes sociais e de diversas partes do país, e que tenham uma criança ou mais com menos de 10 anos de idade.

Pop-Up Tiny House Fotos: Neylon Jacob

Para atender este público, principalmente dentro da perspectiva do novo normal, novos projetos têm sido desenvolvidos em regiões turísticas do Brasil. Como destaque, o contato com a natureza e espaços com o mínimo de interação com outros visitantes. Um exemplo é a estância Moriá Village, lançada em Pirenópolis-GO. O local é exclusivo para casais e trará o conceito rooftop – terraços com vistas para a natureza, marcada pelo cerrado.

A estância traz uma nova forma para aproveitar ao máximo o turismo de experiência. O empreendedor da área do turismo, desenvolvedor da estância Moriá Village, Neylon Jacob, explica que nessa modalidade existe interação mais aprofundada com o espaço visitado, envolvendo temas da região como história, cultura e gastronomia. Os casais contarão com um espaço único em Pirenópolis, com área de bosque e vista para a serra e o pôr do sol. Doze cabanas exóticas serão construídas no local.

“Os projetos seguirão tendências mundiais, especialmente o estilo escocês e norueguês. Os casais terão um espaço romântico em que poderão cozinhar a própria comida, manter os cuidados exigidos pelo isolamento social e ter privacidade para viver momentos inesquecíveis”, destaca ele revelando o objetivo de promover o resgate do turismo a dois.

O primeiro projeto é a Sunset Rooftop House, a primeira cabana com lounge no rooftop em Pirenópolis. O espaço é feito com contêiner e conta, na parte superior, com spa privativo. Já o segundo é a Pop-up Tiny House, também uma tiny house feita com contêiner e que conta com um telhado verde, deck móvel com mesa e camas retráteis e cinema à céu aberto. As duas casas foram idealizadas pelo arquiteto Agustín Fila e Karen Chaves.

Segundo o empreendedor, a ideia de construir o Moriá se deu após o sucesso da estância Shambala Piri, um local com cultura caipira e sertaneja, decoração peculiar e tradicional do campo, que resgata a preservação do patrimônio material e imaterial. Enquanto as cabanas da Shambala são abertas às famílias com filhos, o Moriá será focado nos casais apenas. “Com o Moriá, Pirenópolis contará com espaços que servirão como refúgio da agitação da cidade e uma apreciação da vista incrível da natureza”, diz.

De acordo com o empreendedor, as duas cabanas proporcionarão experiências únicas ao oferecer produtos e serviços exclusivos. “Para proporcionar momentos agradáveis, essas novidades do Moriá contará com uma linha exclusiva de amenities e um enxoval de 400 fios. Os primeiros hóspedes ainda contarão com cortesias de vinhos durante o primeiro mês”, detalha Jacob. A estância ainda oferecerá pacotes com cestas campais, vinhos especiais, spa e espaços para a prática de yoga, que poderão ser contratados à parte. Cada cabana ainda contará com uma área com fogueira para proporcionar que o hóspede tenha uma sensação possa acampar sem perder o conforto oferecido pelo espaço.

Outro destaque do projeto é a recuperação do meio ambiente local, que foi degradado por anos com pastagens. Segundo Jacob, foram plantadas cerca de 600 mudas espécies nativas do cerrado em uma área de mais de 20 mil m². “Com isso, o objetivo é deixar a estância com 40% da área com árvores nativas, iniciando pelas áreas ao redor do empreendimento e, posteriormente, incluindo as espécies entre as casas”, destaca Jacob, que ainda afirma que a recuperação do espaço faz parte de uma parceria entre a estância e o programa ProFloresta, da Universidade Federal de Goiás (UFG) e prevê a plantação de mais espécies nos próximos meses.

Localizado a poucos minutos do centro histórico de Pirenópolis, com acesso rápido e fácil pela Rodovia GO-431, Moriá está distante apenas 8 km, levando em média sete minutos de carro. Para saber mais sobre a estância, acesse: www.temporadaempiri.com.br.