Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Em Pirenópolis, empreendedor desenvolve hospedagem adaptada à Covid-19

A queda no faturamento do turismo em Goiás foi de 33%, segundo o Observatório do Turismo. Na retomada, setor hoteleiro busca inovações como a Ayla Smart House
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Divulgação)

Imagine passar uma temporada em uma casa minimalista, com pequena metragem, porém com tudo o que você precisa. Uma casa que está em meio à natureza, mas com muita tecnologia. Você acorda e a própria casa te diz “bom dia”, acende a luz por comando de voz e prepara o seu café automaticamente. Os visitantes de Pirenópolis, localizada a 120 km de Goiânia e 140 km de Brasília, poderão experimentar essa sensação com a Ayla Smart House, projeto desenvolvido por dois empreendedores da cidade que investem em um ecoturismo que valoriza o minimalismo misturado à necessidade por segurança sanitária nos novos tempos de pandemia.

O projeto da habitação de 37 m² foi idealizado pelo jovem empreendedor Neylon Jacob, e pelo seu pai, o artesão e carpinteiro Nelton Xavier de Barros, e contou com a colaboração do mestre de obras Adriano Lena. Pronta para receber hóspedes desde o dia 30 de outubro, foram aproximadamente oito meses de trabalho para preparar cada detalhe para tornar a casa funcional e inteligente. A pandemia norteou o projeto, que traz soluções para o novo período em que minimizar a necessidade de toque passou a ser uma medida sanitária. “Adotamos também o conceito smart para que as pessoas tenham o mínimo de contato com os objetos. A automação passou a ser uma aliada porque muitos dos comandos podem ser dados por meio da voz, como ligar luzes e ar-condicionado”, destaca Jacob.

O setor de turismo foi um dos que mais sofreu com a pandemia pelo coronavírus. Em Goiás, cidades turísticas como Pirenópolis ficaram 5 meses sem receber visitantes, o que representou uma queda de 33% no faturamento médio de ICMS com as Atividades Características do Turismo (ACT’s) de janeiro a julho de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019. Os dados são do Observatório do Turismo e, para a região turística de Ouro e Cristais, na qual se insere Pirenópolis, o faturamento caiu 39%.

“Foram momentos difíceis. Pensar em inovação foi uma forma de dar a volta por cima nessa crise provocada pelo vírus, uma forma de focar em um futuro de coisas boas, e não em um presente tão limitador”, desabafa Jacob, que começou a pensar na casa durante o período de isolamento para que o negócio da família, a Shambala Piri, atravessasse esse período desafiador.

Os hóspedes, por exemplo, podem ser lembrados de seus compromissos durante a estadia na smart house por meio do programa Google Nest, que proporciona ao hóspede programar toda a sua agenda e receber notificações por intermédio de uma voz inteligente instalada na casa. “O espaço é praticamente todo automatizado. Também foi pensada em uma máquina de café que prepara o mesmo antes até da chegada do turista, de modo que ele escolhe o melhor horário para isso. O fogão é aceso por indução, garantindo a segurança para os visitantes”, destaca Jacob.

No living, há um cinema de aproximadamente 150’ smart que possibilita o acesso a plataformas de streaming pelo comando de voz. “O check-in e check-out, além das compras e pagamentos de tudo o que for consumido no local é feito de maneira digital, sem contato humano, por meio de um sistema próprio com o site www.temporadaempiri.com.br”, detalha o empreendedor.

Luar como protagonista

Batizada de de Ayla, o nome tem origem hebraica e significa luz do luar. Jacob explica que a escolha se deu pela existência de duas janelas sobre a cama da smart house que possibilitam uma linda vista do luar nas serras da região. “Propositadamente, a gente quis valorizar esse presente da natureza, que será ainda mais especial nas noites de lua cheia”, diz o idealizador.

Com capacidade de receber duas pessoas, a Ayla é toda feita de madeira de eucalipto tratado e ipê roxo.  Com dois pavimentos, no mezanino está o quarto do casal com uma cama queen size. Embaixo, a cozinha americana e o living, com um cinema e um deck de 2,5m x 5m com banheira de hidromassagem e bistrô.

A iluminação natural é outra característica da casa, são cinco janelas de 1,5 x 1 metro. Em busca pela sustentabilidade, ela conta com aquecimento solar para a banheira de hidromassagem e o chuveiro. A cobertura é feita com telhas ecológicas provenientes de fibras vegetais recicladas e com processo produtivo de baixo impacto ambiental.

Shambala Piri

A Ayla é a sétima casa com conceito voltado para a convivência com a natureza na estância Shambala Piri, uma pequena estância de casas de temporada voltada para o ecoturismo. A casa, que teve incentivo da Goiás Fomento, tem como referência o Movimento Pés Descalços, que propaga a busca por uma vida mais livre e simplificada.

“A gente percebe um crescimento desse movimento da vida simples, em que as pessoas buscam pelo essencial. Querem conforto sim, mas dispensam o que não é necessário. Esse é o espírito dessa nova unidade”, define Jacob.

“Apesar do conceito minimalista, a casa apresenta muitas possibilidades de experiências. No deck, por exemplo, a banheira de hidromassagem pode ser usada como piscina privativa durante o dia, com água fria e opção de tomar um espumante ou vinho gelado. Já à noite, o hóspede pode escolher uma água mais quente, tomar um bom vinho e um fondue em um ambiente mais intimista”, destaca.

Para completar o ambiente, a estância disponibiliza em seu canal do Spotify uma playlist com músicas de diferentes gêneros que podem ser selecionados de acordo com o gosto e o perfil do visitante. A estadia também dá direito ao hóspede de usufruir de toda a estrutura da Shambala Piri, que é pet friendly e oferece estacionamento e área de lazer com redário, piscina, ducha e churrasqueira.

(Divulgação)

Atenção com os detalhes

A smart house ainda conta com uma linha de amenidades, desenvolvida pelo grupo Famiglia Valdugo, para proporcionar mais conforto para os hóspedes. “A casa conta com sabonetes, condicionadores, loções para o corpo, sais de banho e hidratantes, que usam o conceito do vinho para levar a essência da uva para os produtos de beleza e estética”, detalha Jacob.

O enxoval é de alto padrão, com lençóis de 400 fios e, ao lado da cama, uma mesa com acesso à internet que possibilita, caso seja necessário, desenvolver atividade de home office com o máximo conforto. Para aqueles que querem se arriscar na cozinha fazendo pratos rápidos e práticos, o espaço disponibiliza pequenos vídeos com receitas e modos de preparo de diversos pratos da culinária local, feitos por chefes regionais que trabalham em grandes hotéis.

Próximas novidades

Com a insatisfação incansável natural a todo empreendedor, Jacob tem desenvolvido outros projetos para a estância. Até o final do ano, ele inaugura uma experiência degustativa de vinhos e queijos especiais para os hóspedes. Além disso, haverá uma carta de vinhos nas acomodações com produtos nacionais e internacionais elaborada por meio de uma consultoria com a enoteca Decanter Goiânia. “Para 2021, teremos mais inovações para proporcionar um mix de tecnologia, natureza e experiências gastronômicas para os turistas de Pirenópolis”, ressalta o empreendedor.

(Divulgação)