Economista Ricardo Amorim fala para mais de 700 pessoas na ABAV Expo

<p><img src="https://revistazelo.com.br/public/backend/midias/tinymce/Viagem/Ricardo%20Amorim_Rog%C3%A9rioCanella2.jpg" alt="Economista Ricardo Amorim. Foto: Rog&eacute;rio Canella" width="800" height="533" /></p>
<p style="text-align: justify;">A 44&ordf; <span class="il">ABAV</span> &ndash; Expo Internacional de Turismo &amp; 46&ordm; Encontro Comercial Braztoa, com patroc&iacute;nio da LATAM Airlines Brasil, promoveu ontem, 29, a apresenta&ccedil;&atilde;o do economista Ricardo Amorim, que abordou o tema "Por que e como e a economia deve melhorar e surpreender a partir de 2016?". Antes da exposi&ccedil;&atilde;o de Amorim, a CEO da LATAM, Claudia Sender, fez um breve demonstrativo institucional do grupo, em que pontuou desafios, renascimento da esperan&ccedil;a e expectativa de recupera&ccedil;&atilde;o da confian&ccedil;a no Brasil.</p>
<p style="text-align: justify;">"Como Claudia (Sender) acabou de dizer, voc&ecirc;s, profissionais da ind&uacute;stria tur&iacute;stica, vendem sonhos. E para que esse objetivo seja alcan&ccedil;ado, &eacute; crucial ver e enxergar coisas que os outros n&atilde;o est&atilde;o vendo", sustentou Amorim no in&iacute;cio da sua apresenta&ccedil;&atilde;o. Partindo da premissa de que "a vida &eacute; c&iacute;clica", lembra que, nos &uacute;ltimos 15 anos, "de cada d&oacute;lar gerado na economia mundial, U$ 0,73 prov&eacute;m dos pa&iacute;ses em desenvolvimento".</p>
<p style="text-align: justify;">Com base em tabelas e gr&aacute;ficos, Amorim apontou que os ciclos na economia t&ecirc;m dura&ccedil;&atilde;o vari&aacute;vel de tr&ecirc;s a oito anos. "Assim como uma aeronave precisa de combust&iacute;vel para voar, a economia n&atilde;o decola sem confian&ccedil;a", compara.</p>
<p style="text-align: justify;">Entre an&aacute;lises sucintas e previs&otilde;es otimistas, Amorim encadeou leituras de tend&ecirc;ncia do tipo "o d&oacute;lar deve chegar a R$ 2.6"; "os juros e a infla&ccedil;&atilde;o v&atilde;o cair"; "o consumo vai voltar a explodir" &ndash; sempre com base na an&aacute;lise dos ciclos econ&ocirc;micos. Tamb&eacute;m observa e mostra que os regimes pol&iacute;ticos caem quando o PIB despenca. "Acreditem: estamos entrando em novo ciclo de melhora, mas &eacute; indispens&aacute;vel que Michel Temer corte gastos do governo. &Eacute; preciso estabelecer teto para os gastos e, tamb&eacute;m, lidar com a reforma da Previd&ecirc;ncia. Isso nos levar&aacute; a novo c&iacute;rculo virtuoso".</p>
<p style="text-align: justify;">Em tom cr&iacute;tico, afirma que, na busca pelo sucesso, "sempre prevaleceu ter boas rela&ccedil;&otilde;es, o governo, em vez de investir em inova&ccedil;&atilde;o. Pondera que, a despeito de o mundo viver a maior gera&ccedil;&atilde;o de riquezas da hist&oacute;ria da humanidade, s&oacute; se fala em crise. Trazendo o conte&uacute;do da palestra para o interesse espec&iacute;fico da plateia, lembrou o grupo Tit&atilde;s na letra improvisada "a gente n&atilde;o quer s&oacute; comida &ndash; a gente quer comida, educa&ccedil;&atilde;o e lazer".&nbsp; Em seguida afirma que tudo pode ser &nbsp;olhado de forma diferente. "Est&atilde;o a&iacute; os exemplos do Uber e do Airbnb. Vejam o caso dos jogos ol&iacute;mpicos no Rio de Janeiro &ndash; a expectativa era t&atilde;o ruim que, apesar de alguns incidentes, o evento foi percebido como um sucesso".</p>
<p style="text-align: justify;">Finaliza dizendo que "ningu&eacute;m gosta de crise, mas ela &eacute; fundamental. Procurem refletir sobre o que a crise pode criar para voc&ecirc;s. Em quaisquer circunst&acirc;ncias e avan&ccedil;os da inova&ccedil;&atilde;o, a chave sempre envolve &lsquo;gente&rsquo;. Ah! Isso &eacute; fundamental &ndash; nunca desperdice uma boa crise", encerrou.</p>

Deixe um comentário


Confira também