Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Conheça construções inusitadas pelo Alentejo

Região guarda diversos locais com histórias ou curiosidades imperdíveis
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O Alentejo, maior região de Portugal, é conhecido por seus vinhos premiados, as paisagens bucólicas, vilarejos charmosos, hotéis de primeira categoria e construções incríveis, como castelos medievais. No entanto, entre essas construções, há algumas inusitadas, com histórias diferentes ou curiosidades imperdíveis. Confira algumas delas!

Capela dos Ossos – Évora

(divulgação)

Esta capela tem suas paredes e pilares revestidos de milhares de ossos e crânios reais retirados de cemitérios locais. A atração turística sinistra fica na Igreja de São Francisco, em Évora, e foi construída no século 17 para fazer os visitantes refletirem sobre a transitoriedade e fragilidade da vida. Logo na entrada, há uma mensagem que diz “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. E aí, vai encarar?

Igreja de Nossa Senhora da Anunciação – Mértola

(divulgação)

A princípio, esta igreja parece normal. Demora um tempo para o visitante perceber a primeira característica diferente: sua entrada é na lateral da igreja em relação à nave, diferente das construções cristãs tradicionais. Isso acontece porque, nos tempos em que Mértola foi uma cidade árabe, há mais de mil anos, ela era uma mesquita, e sua orientação está relacionada à localização de Meca. Além desse detalhe, ainda restam quatro portas de arco ultrapassado (arco em “ferradura”) e o mihrab, nicho de oração muçulmana.

Cromeleque dos Almendres – Évora

(divulgação)

Aqui, o turista pode viajar no tempo não para algumas centenas de anos atrás, mas para a pré-história. Este monumento megalítico consiste em 95 monólitos de pedra dispostos em formato circular e em perfeito estado de conservação. O mais curioso deste monumento é que ainda não se tem certeza do que ele era. O que se sabe é que a construção está alinhada de forma que seus eixos imaginários coincidam com os eixos dos pontos cardeais e com os solstícios e equinócios. Há também indícios de que tenha sido um local usado para culto aos deuses ancestrais e observações astronômicas. Quer mais? Este monumento é mais antigo que o famoso Stonehenge, na Inglaterra!

Sinagoga de Castelo de Vide

(divulgação)

No pequeno vilarejo de Castelo de Vide está um edifício que guarda uma parte importante da história do Alentejo: a dos judeus alentejanos. Esta sinagoga foi construída no século 14, época em que havia uma comunidade judaica na região. Após o desaparecimento da mesma, ao longo dos anos, a construção foi utilizada como escola e até como casa particular. Foi então restaurada em 1972, e hoje funciona como um museu dedicado à história judaica do vilarejo.

Cais Palafítico da Carrasqueira – Alcácer do Sal

(divulgação)

Bem mais recente, esta construção pode não ser imponente ou ter uma história centenária, mas é um local genuinamente alentejano e com um visual bastante curioso. O cais, situado em Alcácer do Sal, é um verdadeiro labirinto de tábuas e estacas de madeira. Os próprios locais ergueram a estrutura para facilitar o acesso aos barcos mesmo em períodos de maré baixa. Vale uma dica: o cenário fica ainda mais bonito ao pôr do sol!