Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Cinco dias em Lima

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

(Fotos: Arquivo pessoal)

Muitos pensam que o Peru não tem muitas opções para turismo, mas enganam-se! De tradição indígena e fortemente ligada aos costumes espanhóis, o País tem em seu vasto território monumentos históricos e sítios arqueológicos, além de uma beleza natural estonteante e uma culinária que chamou minha atenção. Entre os 50 melhores restaurantes do mundo, três se encontram na capital peruana Lima, que foi o destino escolhido para eu e meu namorado, Alexandre Guerra, realizarmos em cinco dias uma viagem gastronômica de dar água na boca.

Foram 40 minutos do aeroporto até a comuna (bairro) Miraflores, e chegamos logo na hora do almoço. Iniciando a rota gastronômica, nos dirigimos ao famoso “La Mar”, que está entre os cinco melhores de Lima, conduzido pelo renomado chef Gastón Acurio. Conhecido por ter o melhor ceviche do País, comida supertípica baseada no peixe cru marinado em suco de limão, lima ou outro cítrico, o restaurante serve grandes espigas de milho torradas e salgadinhas como entrada, além do pisco sour, drink também típico do destino.

Comece seu passeio visitando o Centro, coração da cidade. É lá onde estão a Plaza de Armas (ou Plaza Mayor), a suntuosa Catedral, o Palácio do Governo e o incrível Complexo de San Francisco – com a igreja, o monastério e as tumbas –, que é considerado Patrimônio Mundial pela Unesco. Esse é um trajeto tradicional, que todo mundo deve fazer ao visitar a capital.

Seguindo o roteiro gastronômico, no terceiro dia fomos ao “Maido”, que está na 13ª posição entre os melhores restaurantes do mundo, comandado pelo chef Mitsuharu Tsumura. Não havíamos feito reserva, então tivemos que dar uma voltinha até nossa lista de espera sair, mas não abrimos mão de almoçar no local! O chef é especializado na culinária Nikkei, que é a mistura das culinárias japonesa e local, e o Maido propõe sabores diferentes. O casamento dos pratos típicos do Peru com as delícias orientais surpreende!

Lima possui atrações voltadas, especialmente, para o lado histórico, então decidimos visitar o sítio arqueológico Huaca Pucllana, que significa “templo dos adoradores do mar” e abriga uma pirâmide construída no século 5 d.C. por uma civilização pré-inca que habitava a região. A pirâmide era uma Huaca, termo que se refere a um espaço de culto, onde acredita-se que eram feitos rituais e sacrifícios.

O turismo no Peru é um pouco caro e são raras as atrações em que não é preciso comprar ingresso. Recomendo que, em atividades de cunho histórico, a visita seja feita com um guia, pois só assim será possível entender a história real. E lembre-se: os táxis são baratos, porém não confiáveis. Já vivi três meses na capital e uma dica é sempre sair de Uber, que é mais seguro.

Reservado há três meses, conhecemos o Central, do famoso chef Virgílio Martínez, que é considerado pelo site TripAdvisor número um em Lima. A fachada é discreta, mas ao entrarmos nos deparamos com um restaurante luxuoso! Entradas e drinks diferenciados nos aguardavam na sala de espera, um show à parte, com atendimento impecável e som ambiente. Foi sem dúvida uma das melhores experiências que já vivi, através dos ingredientes frescos e locais utilizados no cardápio reduzido e sem precedentes. O quarto melhor restaurante do mundo é ótima escolha para quem tem um paladar apurado!

Já no último dia, fomos ao Astrid y Gastón, que se encontra em trigésimo lugar no ranking dos melhores restaurantes do mundo. Comandado também pelo chef Gastón Acurio, tem um menu de degustação com 26 etapas. Optei por uma entrada já seguida do prato principal, pois duraria quatro horas para provar todas as delícias. O lugar parece um castelinho e é considerado a principal assinatura gastronômica do chef.

Para fechar com chave de ouro, fomos ao Osaka, outro restaurante da cozinha Nikkei, que possui sete sedes na América Latina. Fiquei encantada com os pratos elaborados e ousados, o ambiente aconchegante decorado com garrafas de saquê, um sushi bar que ocupa toda uma esquina principal, e o terraço interno com queda d’água é simplesmente lindo!

 Charla con palta y panca preparado no restaurante Central

O Central está em 4º lugar na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo

Vanessa Gualberto e Alexandre Guerra em almoço no restaurante Central

Arroz com camarões do Astrid y Gastón

Ceviche do restaurante La Mar

O típico pisco sour

No cardápio do Osaka, seu Hot Rock Ceviche

Especializado na culinária Nikkei, o também premiado Maido traz pratos como o Muchame de polvo y conchas com maca em seu repertório

Muchame de polvo y conchas