Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Insônia, como recuperar o sono tranquilo?

Cerca de 30% a 50% dos brasileiros sofrem com a intercorrência, que pode se manifestar por diversas razões, como estresse, ansiedade, depressão, dor crônica e uso de certos medicamentos
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Foto: Reprodução

Há quem diga que o momento de deitar e descansar é a melhor hora do dia. Vivendo em um mundo que as horas têm passado voando, as noites bem dormidas tornou-se luxo. Muitos desconhecem o prazer e sofrem com a insônia, que é caracterizada pela dificuldade de dormir ou conseguir manter um sono contínuo sem ser interrompido durante a noite. Cerca de 30% a 50% dos brasileiros sofrem com a intercorrência, que pode se manifestar por diversas razões, como estresse, ansiedade, depressão, dor crônica e uso de certos medicamentos.

Uma boa noite de sono é determinante para amenizar grande parte dos problemas relacionados à saúde. Durante o sono, o organismo sofre um tipo de reset, voltando à condição em que iniciou o dia. Isso inclui o relaxamento muscular, redução da pressão arterial, dos batimentos cardíacos e da produção de urina, a consolidação da memória e o controle da temperatura corporal. Mas como dormir bem se você tem distúrbios do sono como a insônia? A psicoterapeuta Jordana Ribeiro esclarece que hoje já existem métodos que ajudam nesse processo.

Segundo a profissional, a insônia pode ser classificada em três tipos. O primeiro é a dificuldade de pegar no sono: esse é o tipo de insônia que nos faz rolar na cama antes de conseguirmos dormir de fato. O segundo é o sono intermitente: quando despertamos várias vezes durante a noite. E por fim o terceiro, acordar de madrugada: é aquele em que despertamos muito cedo e não conseguimos voltar a dormir. “É importante lembrar que a divisão da insônia em tipos não é absoluta e qualquer pessoa pode sofrer uma mistura dos três tipos”, esclarece a profissional.

A psicoterapeuta enfatiza que é importante encarar, por muitas vezes, o caráter emocional desses diagnósticos. “Nosso corpo é reflexo daquilo que acontece dentro da gente, do nosso movimento de vida”, diz. A insônia representa um estado de alerta por algo que a pessoa está vivenciando ou vivenciou, já que o corpo registra condições que se perpetuam ao longo do tempo. Sendo assim, a insônia é uma característica de pessoas ansiosas, aquelas que não se permitem descansar e/ou se cobram severamente.

Deste modo, ela trabalha formas de ressignificar esses traumas. “Investigou a causa junto com o paciente e ao descobrir a fonte primária do problema, tratamos e fazemos com o que o corpo atualize e dê um novo significado para essa vivência. Também incluo no tratamento o ritual de sono, no qual ele se prepara para dormir e tenha maior qualidade do sono”, explica Jordana. O protocolo, que inclui banho morno, tomar chá e tirar um momento para se conectar consigo, precisa ser feito 1h20 antes de dormir para que o corpo se prepare para o sono.

Seja qual o motivo, pessoas com insônia possuem sua qualidade de vida e bem-estar prejudicados pela falta de sono. Ajuda de um profissional especializado pode trazer de volta a saúde do sono, e segundo Jordana é necessário investir tempo no tratamento dos traumas primários, na higiene do sono e nas afirmações para si, para que o resultado venha. “O resultado pode ser alcançado em até dois meses, dependendo do caso, e traz de volta aquele sono reparador, maior disposição, foco e sensação de bem-estar”, revela a psicoterapeuta.

Psicoterapeuta Jordana Ribeiro