Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Caiado garante que Goiás está pronto para redistribuir a vacina aos municípios

Ministério da Saúde negocia aquisição de 300 milhões de doses e espera aval da Anvisa. “São 27 governadores com um só propósito, a volta à normalidade”, disse Bolsonaro.
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Governador Ronaldo Caiado participa do lançamento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, em Brasília: “Nenhum Estado começa na frente do outro e governo federal será responsável pela distribuição” Foto: Hegon Corrêa

O governador Ronaldo Caiado assegurou que o Estado está pronto para iniciar a imunização dos goianos contra a Covid-19 e que está avançado o trabalho para organizar a logística necessária por meio do aplicativo Dados do Bem, lançado pelo Executivo em julho deste ano. “No momento em que o governo federal nos entregar a vacina, nós imediatamente faremos a redistribuição aos municípios, de acordo com os grupos de risco”, disse nesta quarta-feira (16/12). A declaração ocorreu após apresentação do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, feita pelo presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no Palácio do Planalto.

Durante entrevista coletiva, Caiado informou que o governo estadual já tomou iniciativa e adquiriu todos os equipamentos de proteção individual (EPIs) necessários, além de seringas e agulhas. “Temos experiência grande na distribuição das vacinas, os postos estão todos ativados”, garantiu. O governador também disse que a mensagem para o ano que vem “é de esperança, de um 2021 que possamos voltar às nossas tradições, festejos e convivência, que é a característica não só dos goianos, mas de todos os brasileiros”.

O governador elogiou a postura do governo federal em anunciar detalhes sobre a logística para a vacinação em todo o território nacional, que conta com critério de entrega proporcional à população de cada região. “Nenhum Estado começa na frente do outro. O governo federal será responsável pela distribuição”, pontuou. Atualmente, o Ministério da Saúde negocia a aquisição de 300 milhões de doses. No entanto, o cronograma só será definido mediante aprovação e registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foto: Hegon Corrêa

Na solenidade, Bolsonaro adotou um discurso de união e esperança. “São 27 governadores com um só propósito, o bem comum, a volta à normalidade”, disse. O presidente declarou que assinará, ainda nesta semana, uma Medida Provisória (MP) que vai liberar R$ 20 bilhões para a aquisição das doses. Nesse sentido, destacou o papel fundamental da Anvisa “na decisão de qual vacina deve ser apresentada de forma gratuita e voluntária para todos os brasileiros”.

Sobre a logística, o ministro da Saúde frisou: “Todos os entes da Federação serão tratados de forma igualitária, proporcional, não haverá nenhuma diferença”. Pazuello referiu-se ao plano lançado como um “guarda-chuvas”, que abrange várias etapas do planejamento, como a definição de grupos prioritários, a logística dos Estados e a efetiva execução da vacinação pelos municípios. “Estamos no caminho certo, no momento certo”, salientou. “Nós, brasileiros, vamos ganhar essa guerra. O Brasil imunizado é o nosso objetivo”, pontuou.

Atualizado “conforme surgimento de novas evidências científicas”, o plano apresentado pelo Ministério da Saúde prevê quatro grupos prioritários, que serão os primeiros a ter acesso ao imunizante. Faz parte desse público-alvo cerca de 50 milhões de brasileiros, entre idosos, profissionais da saúde e da segurança pública, indígenas e pessoas com comorbidades. Em seguida, começará a etapa que engloba a população em geral.

Dados do Bem

No final da tarde, após reunião no Ministério da Saúde, o governador deu mais uma entrevista coletiva e informou que, em Goiás, está avançado o trabalho para que o aplicativo Dados do Bem seja utilizado para organizar a vacinação contra a Covid-19 no Estado. “[Ele] pode dar um melhor ordenamento e distribuição das pessoas que serão vacinas de acordo com seu grupo de risco”, afirmou.

O aplicativo foi lançado no dia 22 de julho deste ano com o objetivo de ampliar a testagem, além da promoção do rastreamento e do monitoramento de pessoas com suspeita ou diagnóstico de Covid-19. A ferramenta coleta informações que balizam a aplicação do RT-PCR, exame que identifica o coronavírus no período em que está ativo no organismo humano.

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás