Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

‘Dor nos cabelos’ pode ser sinal precoce de doença autoimune que causa queda dos fios

Pacientes que sofrem de Tricodínia são significativamente mais sensíveis ao toque no couro cabeludo
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Apesar de estranha, a reclamação de dor nos cabelos é comum nos consultórios médicos. “O nome médico para o problema é a Tricodínia. O paciente sente uma sensação desconfortável e isso precisa ser avaliado, pois pode preceder quadros intensos de queda de cabelo, como a doença autoimune Alopecia Cicatricial. Na literatura científica, 1/3 das mulheres com alopecia difusa reclamavam desse fenômeno de dor no couro cabeludo”, afirma o Dr. Lucas Fustinoni, médico tricologista, referência internacional em Tricologia e membro da World Trichology Society e da European Hair Research Society.
Segundo o especialista, a causa da Tricodínia ainda é desconhecida, mas alguns trabalhos sugerem que há uma origem multifatorial. “A atividade de neuropeptídios ao redor dos folículos pode ser responsável pela dor, que pode evoluir para uma sensação de ardência e vermelhidão, até a posterior perda dos cabelos”, afirma o Dr. Lucas. Também existem outras causas para o problema. “Temos quadros de ansiedade generalizada ou distúrbios psiquiátricos e o aumento da substância P, produzida no SNC (Sistema Nervoso Central) e relacionada aos mecanismos de dor; e hoje questiona-se se a rosácea em couro cabeludo não ocasionaria o quadro. Outros estados inflamatórios do couro cabeludo também estão relacionados, como a psoríase e dermatites. Diante de uma queixa tão complexa, a avaliação com especialista é fundamental”, diz o tricologista.
Segundo o especialista, o uso frequente de penteados como rabos de cavalos, tranças e até mesmo coques para dormir também podem contribuir para a piora da dor. “Quando usamos penteados que tracionam a raiz dos cabelos o resultado é uma inflamação ao redor dos pelos que, se for crônica, pode resultar em casos de alopecia definitiva. O mesmo ocorre com o uso de apliques muito apertados”, destaca. Nesses casos, é possível prevenir o problema através de cuidados básicos, como evitar usar elásticos para prender os cabelos, optando por penteados mais soltos, evitar o uso de apliques por mais que três meses consecutivos e sempre realizar o procedimento com mechas finas e manutenção frequente.
De acordo com o médico, estados inflamatórios do couro cabeludo, como a dermatite seborreica, podem agravar ainda mais o problema e o excesso de oleosidade deve ser combatido. “É interessante procurar um médico e relatar o problema para o melhor diagnóstico. Incômodo algum no cabelo é normal”, diz o especialista. “Falando em inflamação, produtos químicos e até secar os cabelos com secador são hábitos que podem levar a uma inflamação da pele ao redor dos fios”, diz o médico.
Felizmente o problema tem tratamento, que geralmente é feito com aplicação tópica de substâncias não alcóolicas para evitar o risco de reações alérgicas. “Quando o problema é associado a outras doenças, é necessário tratar as causas. O tratamento é fundamental para evitar consequências mais drásticas da doença, como a perda de cabelos. O melhor meio é buscar ajuda médica de um tricologista”, finaliza o Dr. Lucas.
.