Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Covid-19: Governo de Goiás recomenda desobrigação do uso de máscara facial em ambientes abertos

Nota divulgada nesta quinta-feira (10) considera medida para municípios que alcançaram cobertura vacinal contra Covid-19 igual ou acima de 75% da população com mais de 5 anos, com o esquema primário completo
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Divulgação)

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), publicou nesta quinta-feira (10/03), documento com recomendações sobre a flexibilização do uso de máscara em ambientes abertos, naqueles municípios que já alcançaram a cobertura vacinal contra Covid-19 igual ou acima de 75% da população com mais de 5 anos, com o esquema primário vacinal completo (segunda dose ou única).

“Em se tratando de pandemia, a cautela e a prudência sempre têm o seu lugar. Por isso mesmo estabelecemos critérios mínimos, e o principal deles é a cobertura vacinal de 75%”, explica o secretário estadual da Saúde, Ismael Alexandrino, destacando que as evidências e os estudos mostram que há segurança quando se alcança esse nível de população vacinada.

O secretário ainda orienta que se, por algum motivo, o município não atingir a cobertura mínima, é importante que desenvolva medidas para alcançar tais índices, com ações de logística e campanhas, por exemplo. “Nós não consideramos seguro, abaixo disso, fazer a liberação”, alerta.

Alexandrino destaca ainda que a nota é uma recomendação, pois o Supremo Tribunal Federal (STF) deu autonomia aos municípios para tomarem decisões em seus territórios. No entanto, a recomendação da autoridade sanitária do Estado, serve como balizamento para os gestores e para os órgãos de controle.

Recomendações

Essa desobrigação deve ocorrer somente quando a cobertura vacinal com esquema primário, com segunda dose ou única, na população acima de 5 anos, estiver maior ou igual a 75%, de acordo com os dados registrados no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações, ou seja, a base de informação oficial para registro de doses aplicadas no Brasil.

O uso de máscaras, como equipamento de proteção individual (EPI), deve continuar sendo incentivado para pessoas imunodeprimidas, com comorbidades de alto risco, pessoas não vacinadas e com sintomas de síndrome gripal, mesmo em locais abertos e sem aglomeração.

É necessário avançar com a vacinação completa, mantendo outras medidas de prevenção contra a Covid-19, dentre elas o uso de máscaras em ambientes coletivos fechados, como por exemplo, transporte público, aeroportos, rodoviárias, escolas, dentre outros e em ambientes abertos com aglomeração.

Análise

A recomendação foi feita após avaliação do corpo técnico da SES-GO, que de forma responsável, prudente e com cautela e zelo, orientou que a flexibilização ocorra de forma gradativa, baseando-se no cenário epidemiológico atual e nas evidências científicas nacionais e internacionais.

Como a pandemia ainda está em curso, mantém-se a recomendação para o uso de máscara em locais fechados. Novas análises serão continuamente realizadas, a fim de se analisar mudanças na situação epidemiológica do Estado. “Essa decisão, como qualquer outra da pandemia, pode ser revista, caso haja algum revés em relação a número de casos graves, de óbitos e qualquer risco para a população”, acrescentou Alexandrino.

Cobertura vacinal

Atualmente, há 148 municípios com cobertura dentro do preconizado pela recomendação. Mas, esse é um número dinâmico, passível de atualização diária.

Destaca-se ainda que para a manutenção segura e evolução positiva desse quadro, é fundamental que os pais levem seus filhos para se vacinarem, visto que a cobertura vacinal desse público está na faixa de 32,02%. A elevação desses números vai contribuir para que todos os municípios atinjam o mínimo necessário de 75% de cobertura vacinal.

Além disso, é preciso destacar o retorno às salas de vacinas para atualização do cartão de vacinação com a dose de reforço. No Estado, há 2.240.488 pessoas em atraso. Outros 800.842 goianos ainda não tomaram a segunda aplicação.