Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Alemã cria anticoncepcional masculino e é premiada

Chamado de “Coso”, ele foi projetado para impedir a mobilidade dos espermatozoides
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
anticoncepcional masculino
O “Coso” funciona inibindo a movimentação do espermatozoide com ultrassom (Foto: Reproduçao / Instagram)

Um aparelho criado pela alemã Rebecca Wiss pode, finalmente, criar uma solução viável de um anticoncepcional masculino. Chamado de “Coso”, ele foi projetado para dar um “banho” nos testículos com o ultrassom e, assim, impedir o motricidade dos espermatozoides.

Pela invenção, a alemã venceu o prêmio principal de um dos maiores concursos de design do mundo: o James Dyson Awars Rebbeca ganhou o equivalente a R$ 250 mil. Além do prêmio em dinheiro, a designer terá a possibilidade de prospectar o produto e, assim, possibilitar a fase de testes e a comercialização no mercado.

A inspiração para a criação do aparelho foi, de acordo com ela, um problema de saúde desencadeado pelo uso frequente de pílulas anticoncepcionais: o câncer no colo do útero.

“Quando meu companheiro e eu procuramos métodos alternativos de contracepção, percebemos a falta de métodos para os homens. Esse problema não é só meu, afeta muitas outras mulheres e torna evidente que se discuta publicamente alternativas”, explicou Rebbeca na apresentação do projeto no Dyson Awards.

O Coso funciona como uma banheira para uso doméstico, onde o homem coloca os testículos a cada dois meses para impedir a movimentação dos gametas masculinos responsáveis pela reprodução e, consequentemente, evitar que eles cheguem ao óvulo e o fertilizem.