Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Ansiedade e sedentarismo: da Yoga à meditação, aprenda como movimentar corpo e mente mesmo em casa

Práticas podem ajudar a relaxar. Professora Priscilla Leite, ensina posturas e dá dicas
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O Yoga, que costumava ser visto por quem não conhecia a prática como algo elitizado, caro e que só pessoas magras e flexíveis costumavam praticar, tornou-se uma válvula de escape contra o estresse, a ansiedade e as incertezas geradas pelo atual momento em que o mundo se encontra. Originário da Índia, o Yoga é uma antiga palavra sânscrita que significa unir; uma união completa da mente, corpo e alma. “A atividade nos leva a uma conexão com o momento presente, nos faz abandonar pensamentos acelerados e focar somente no aqui e agora, é o momento que paramos para ouvir o que o nosso corpo precisa”, destaca Priscilla Leite, professora de Yoga online do Brasil, com 1 milhão de inscritos em seu canal no Youtube.

A exigência? Constância e autodisciplina para sentir de perto, os benefícios físicos e mentais que essa arte milenar proporciona. A Yogini explica que, não é necessário possuir um grande espaço dentro de casa para a prática da atividade, apenas é importante que o lugar seja calmo e aconchegante. Também não há necessidade de escolher um estilo de Yoga especifico para ser feito em casa. “Apenas tente avaliar o que o seu corpo precisa naquele dia. Se você está precisando de um alongamento para aliviar o cansaço do dia, ou precisando acalmar os níveis de estresse e ansiedade, por exemplo, existem aulas especificas para cada necessidade.” – pontua.

E com a meditação, não é diferente. A atividade que ajuda a cultivar a calma e a harmonia interior também pode e deve ser realizada em casa. E embora não haja uma maneira certa ou errada de meditar, é importante encontrar uma prática que atenda suas necessidades e complemente a sua personalidade. “O tipo de meditação certa é aquela que você se sente confortável e encorajado a praticar”, diz.

A vantagem de reproduzir as posturas em casa é poder fazê-la no seu próprio ritmo, sem pressão, conciliando esse momento com sua rotina e podendo fazer pausas estratégicas para recuperar o fôlego sempre que necessário, além de ser de graça, é claro. Mas, é necessário certificar-se de que está fazendo corretamente todas as posturas e respeitar os seus limites. E como a meditação é uma técnica com muitas nuances, também pode ser fácil cometer erros.

Para finalizar Priscilla destaca que o aluno nunca deve se sentir estressado ao praticar. “O Yoga consiste em liberar a tensão do corpo, por isso é essencial ser gentil com seu próprio corpo. Algumas pessoas também podem experimentar emoções negativas ao meditar. Certifique-se de começar apenas com as técnicas que você se sente confortável para executar”.

Que tal aprender algumas posturas que podem ser feitas em casa? Acompanhe:

Postura da criança

(divulgação)

É calmante e uma ótima opção para quando você precisa fazer aquela pausa durante um dia estressante. Você pode realizar a postura da criança para descansar ou se concentrar para a próxima postura. Ela ajuda a alongar suavemente a parte inferior das costas, quadris, coxas, joelhos e tornozelos, além de relaxar a coluna, ombros e pescoço.

Cachorro olhando para baixo

(divulgação)

Essa é uma das posturas mais comuns de Yoga e ajuda a fortalecer os braços, ombros e costas enquanto atua no alongamento das panturrilhas e arcos dos pés. Também pode ajudar a aliviar a dor nas costas.

Postura da cobra

(divulgação)

Ajuda a fortalecer os músculos das costas, aumentar a flexibilidade da coluna e alongar o peito, ombros e abdômen.

Postura da árvore

(divulgação)

Além de ajudar a melhorar o equilíbrio, também pode fortalecer o núcleo, tornozelos, panturrilhas, coxas e coluna vertebral.

Postura do cadáver

(divulgação)

As aulas de ioga geralmente terminam com essa postura. Ela permite um momento de relaxamento. E embora possa não parecer difícil realizar essa postura, na verdade é bastante desafiador ficar deitado na posição de cadáver por um longo período de tempo. No entanto, quanto mais você tentar essa postura, mais fácil será aprofundar-se em um estado relaxante e meditativo.