Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Iris Rezende, ex-governador de Goiás, morre aos 87 anos

Político estava internado desse agosto após ter sofrido um AVC
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Ex-prefeito de Goiânia e ex-governador de Goiás, Iris Rezende, morre aos 87 anos (Reprodução/@irisrezendego)

Morreu na madrugada desta terça-feira (9), aos 87 anos, Iris Rezende, ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia. Iris estava internado desde agosto em São Paulo após ter sofrido um AVC. No sábado (6), o quadro do político se agravou devido a uma infecção e ele não resistiu, morrendo por volta da 0h30 desta terça.

O atual prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, decretou luto oficial por sete dias e ponto facultativo no Paço Municipal a partir do meio-dia de hoje para que os servidores possam prestar as últimas homenagens ao líder político que será velado no Palácio das Esmeraldas. Iris será enterrado no Cemitério Santana, a cerimônia está prevista para as 17h de hoje.

“Foi com imensa consternação e muito pesar que eu a minha esposa, Thelma Cruz, recebemos a triste notícia do falecimento do sempre prefeito de Goiânia, Iris Rezende, depois de mais de três meses de uma árdua e corajosa luta pela vida. Nossas orações e sentimentos são dedicados à esposa, Dona Iris Araújo, aos filhos Ana Paula, Adriana e Cristiano, netos, demais familiares e a todos que sofrem com a partida de Iris”, lamentou Rogério Cruz em nota de pesar.

Trajetória

A história de Iris Rezende Machado, que nasceu em Cristianópolis, interior de Goiás, em 22 de dezembro de 1933, confunde-se com a de Goiânia, cidade marcada pelas administrações e paixão do político goiano. Iris marcou também a política nacional com uma das lideranças do processo de redemocratização do país.

Iris foi governador de Goiás por dois mandatos, ocupou cargos nos governos de José Sarney (ministro da Agricultura) e de Fernando Henrique Cardoso (ministro da Justiça), mas, como sempre gostava de enfatizar em seus discursos, conversas e entrevistas, guardava mesmo as melhores memórias à frente do Paço Municipal. Foi onde ficou conhecido como o “tocador de obras”, fama reforçada também em suas administrações no Executivo Estadual.

Homem de fé, Iris não escondia sua religiosidade e costumava contar que suas principais decisões eram tomadas após momentos de reflexão e oração. Figura carismática e bom de prosa, trazia na memória detalhes da história de Goiânia, de Goiás, de suas administrações e de suas experiências na vida pública.

A criação dos mutirões para a construção de casas populares — que chamou a atenção do país e reuniu multidões — e também a fama de bom gestor das finanças e de tocador de obras eram repetidas com orgulho e saudosismo, nos quatro cantos da cidade que o acolheu e que foi responsável pelo início de sua vida política, ainda como líder estudantil e vereador.

Foi o povo goianiense que o consolidou como um dos políticos mais populares e queridos garantindo sua eleição também para os cargos de deputado estadual, prefeito, senador e governador.

Iris Rezende mudou-se para Goiânia no final da década de 1940, com o objetivo de levar adiante seus estudos. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG), mas foi na política que se realizou. Liderança estudantil, ainda na década de 1950, contra a vontade de sua família, disputou eleição para vereador. Eleito em 1959, permaneceu na função até 1962. Em 1963, ele assumiu o cargo de deputado estadual, sendo o mais votado em todo o estado. Em 1965, aos 32 anos, Iris Rezende foi eleito prefeito de Goiânia.

Em 1969, Iris Rezende foi cassado e perdeu seus direitos políticos por 10 anos pelo Ato Institucional nº 5 (13/12/1968), editado durante o governo do general Artur da Costa e Silva (1967-1969). Voltou para a advocacia, mas não abandonou a luta pela redemocratização, levando multidões a comícios pelas “Diretas Já”, em Goiânia. Após o reestabelecimento de seus direitos em 1979, Iris decidiu retornar à política e disputar o governo de Goiás em 1982, sendo eleito com 67% dos votos.

Já na Nova República, em 1986, Iris assumiu o Ministério da Agricultura, durante o governo do presidente José Sarney. Foi eleito governador na eleição de 1990 e senador por Goiás em 1994. Em 1997, assumiu a pasta da Justiça, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Em 1998, disputou o governo estadual mais uma vez, na disputa que elegeu Marconi Perillo.

Foi eleito prefeito de Goiânia em 2004 e 2008, deixando o cargo em 2010 para disputar a vaga de governador, sendo derrotado por Marconi Perillo. O experiente político considerou esse o seu maior erro na política e decidiu tentar retornar ao comando do Paço Municipal a fim de terminar o trabalho iniciado.

Em 2016, entrou na disputa pelo comando do Executivo municipal e novamente saiu vitorioso. Em 2020, em meio à pandemia da Covid-19, já com 86 anos, Iris descartou sua candidatura à reeleição e decidiu aposentar-se da política, apesar da alta popularidade e uma gestão elogiada. Aposentado da vida pública, Iris passou a se dedicar à sua fazenda e a seu escritório de advocacia, onde recebia lideranças políticas.

Após sentir intensa dor de cabeça, no dia 6 de agosto de 2021, o ex-governador foi internado em Goiânia e passou por um procedimento cirúrgico para conter um acidente vascular cerebral hemorrágico.

No dia 31 de agosto, foi transferido para São Paulo e permaneceu internado no Hospital Vila Nova Star em tratamento de complicações clínicas do acidente vascular até o início da madrugada desta terça-feira (9).

Iris deixa esposa, a ex-deputada federal Iris de Araújo, os filhos Ana Paula Rezende Machado Craveiro, Adriana Rezende e Cristiano Rezende, os netos Daniel e Mariana, e seu inseparável amigo de patas, o Barack, além de um legado de trabalho e amor por Goiânia, Goiás e o Brasil.

Iris Rezende e seu inseparável amigo de patas, Barack (Divulgação)