Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Governo repassa recursos para o Museu Casa de Cora Coralina

Com o auxílio financeiro, a instituição reabre ao público já na próxima terça-feira (13)
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Com recursos do governo, Museu Cora Coralina reabre ao público
Marlene Vellasco (diretora do museu), Selma Bastos (prefeita), Ronaldo Caiado (governador), Adriano Baldy (secretário de Cultura), Adriano do Baldy (deputado federal)

O governador Ronaldo Caiado esteve na cidade de Goiás, neste sábado (10/10), para fazer o repasse do auxílio financeiro no valor de R$ 120 mil ao Museu Casa de Cora Coralina. A unidade está fechada desde março, em decorrência da pandemia de Covid-19.

A cerimônia foi realizada na sede do museu e foi acompanhada pelo secretário de Cultura, Adriano Baldy, a prefeita do município, Selma Bastos, a diretora da instituição, Marlene Vellasco, o deputado federal e vilaboense, Adriano do Baldy, e demais autoridades locais.

O projeto de lei de autoria do governo de Goiás nº 3897/20 foi aprovado pela Assembleia Legislativa de Goiás no dia 17/09 e prevê subvenção social ao museu, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult Goiás).

O recurso financeiro chega como reforço para a instituição, que vem enfrentando dificuldades desde o início da pandemia provocada pela Covid-19, que levou ao fechamento da unidade durante sete meses. Sem fins lucrativos, a casa é mantida pela arrecadação de sua bilheteria e, de acordo com a diretora, Marlene Vellasco, o benefício irá sanar as despesas básicas como a manutenção do acervo histórico – que requer cuidados constantes –, além do pagamento de funcionários.

Também será possível adquirir os equipamentos de segurança recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela vigilância sanitária municipal e, também, e pelo Conselho Internacional de Museus/ICOMOS, para garantir a reabertura do espaço com toda segurança ao público já na próxima terça-feira, dia 13.

Para essa retomada das atividades, a diretora ressalta que várias medidas serão tomadas, de forma a resguardar a seguranças dos visitantes. Para tanto, o espaço poderá receber até seis pessoas por grupo, num intervalo de 20 minutos. Os turistas entrarão por uma porta e sairão por outra, para evitar aglomerações, além disso, todas as janelas permanecerão abertas para a adequada ventilação do local.

Memória

No quintal de Cora, o governador Ronaldo Caiado relembrou emocionado a infância e a vida intensa que teve enquanto morou com seu avô, na histórica cidade de Goiás, com quem ele tinha uma forte ligação e que foi o responsável por incentivá-lo e influenciá-lo no mundo da leitura. Segundo Caiado, foi a partir daí que surgiu sua admiração pelo discurso de Cora Coralina, “quando eu vi, pela primeira vez, aquela mulher pequenininha, mas que crescia em seu pronunciamento, eu não me contive as lágrimas”, relembrou Caiado. Ao ser presenteado com uma cópia do discurso escrito por Cora em memória de seu avô, o governador agradeceu de coração a diretora do museu, Marleninha por lhe proporcionar esse momento tão importante e emblemático para ele.

O secretário de Cultura, Adriano Baldy, agradeceu ao governador, não só pelo determinismo e sua capacidade de trabalho, mas pela sensibilidade que tem mostrado diante da cultura e da arte, e especialmente com os patrimônios, como o Museu de Cora Coralina, que muito representa para Goiás. “Essa ajuda, governador, é de fundamental importância para manter essa casa aberta”, reforçou o titular da Pasta.

Baldy agradeceu ainda os secretários Alan Tavares, da Casa Civil e Cristiane Schmidt, da Economia, e a Dra. Juliana Diniz, da Procuradoria- Geral de Goiás, pelo esforço e empenho nessa empreitada de protocolar e viabilizar em tempo hábil esse importante auxílio.

Pelos becos de Goiás

O Museu Cora Coralina leva o nome de Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, conhecida como Cora Coralina. A Casa Velha da Ponte, na antiga Villa Boa, é o lugar em que a poetisa nasceu no dia 20 de agosto de 1889. Às margens do Rio Vermelho, a casa abriga desde 1989, o museu que conserva a memória da escritora, bem como traços dos costumes do final do século 18 e início do século 19. Cora faleceu em 1985, aos 95 anos,

 O Museu Casa de Cora Coralina estará aberto ao público de terça-feira a domingo, das 9h às 13h. Os agendamentos para visitação podem ser feitos pelo telefone 3371-1990 ou pelo e-mail museucoracoralina@gmail.com.

Secretaria de Estado de Cultura (Secult) – Governo de Goiás