Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Área do Complexo Hospitalar Oncológico é observado para os estudos da planta do projeto

Engenheiros da unidade de saúde vão participar da elaboração de projeto para construção da nova unidade que irá consolidar a rede estadual de tratamento oncológico no Estado
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Imagem aérea do terreno que abrigará o Complexo Hospitalar Oncológico, em Goiânia. – (Foto: Secom)

Nessa quarta-feira (20), representantes do Governo de Goiás sobrevoaram a área que vai abrigar o Complexo Hospitalar Oncológico, em Goiânia, seguidos de uma equipe do Hospital de Amor, localizada em Barretos no estado de São Paulo. O projeto goiano será executado em parceria com a unidade paulista, referência no atendimento a pacientes com câncer no Brasil, e seguirá seu modelo construtivo e arquitetônico.

O diretor de obras do Hospital de Amor, Mauro Faustino, observaram a área, ao lado do governador Ronaldo Caiado e do presidente da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), Pedro Sales. A vistoria, in loco, vai contribuir com os estudos que avaliam se a planta aplicada nas demais unidades do país se adapta ao terreno disponível em Goiás, que possui 17 hectares e fica próxima à Central de Abastecimento de Goiás (Ceasa) e à BR-153, na Capital.

“Essa obra vai ser um diferencial não só para o Estado de Goiás, mas também para outros estados, que vão ser ajudados por esse hospital”, afirmou Faustino. Com 136,4 mil metros quadrados previstos, o espaço terá ambientes para atendimento clínico e cirúrgico, quimioterapia, radioterapia, além de UTI especializada e uma ala para abrigar familiares de pacientes que estiverem em tratamento médico. “Vamos começar pelo tratamento de oncologia infantil e depois ampliar para pacientes adultos”, explicou o governador.

O terreno onde será construído o Complexo Hospitalar Oncológico de Goiás foi doado ao Estado pelo governo federal em junho deste ano. O Governo de Goiás também recebeu isenção de todas as taxas e impostos referentes à transferência de propriedade, o que foi possível graças à aprovação, pela Câmara Municipal de Goiânia, da lei nº 10.784, também no mês passado. “É uma área nobre: plana, situada na entrada da cidade, às margens da BR-153 e com rápido acesso ao aeroporto, por exemplo”, destaca o presidente da Goinfra, Pedro Sales.

Rede oncológica

O novo hospital irá consolidar a rede estadual de tratamento oncológico, iniciada com a implantação de uma ala no Hospital Estadual do Centro-Norte (HCN), em Uruaçu. A unidade conta com 36 leitos de internação, capacidade para realização de cirurgias e 22 poltronas para a realização de até 750 sessões de quimioterapia e 65 cirurgias mensalmente. Também está em fase de implantação a unidade de transplantes do Hospital Estadual Alberto Rassi (HGG), que contará com estrutura moderna em uma área de 644 m², e terá um total de 32 leitos, sendo seis exclusivos para transplante de medula óssea.