Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Rihanna será uma das anfitriãs do Met Gala 2018

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

No Baile do MET de 2015, a Rihanna usou este dramático vestido criado pelo estilista chinês Guo Pei (Foto: Reprodução / E+ Estadão)

O Met Gala, a grande noite de abertura da exposição anual do Costume Institute do Metropolitam Museum of Art de Nova York sempre causa ansiedade nos apaixonados por moda. Para este ano, desde o tema aos anfitriões, as novidades são de deixar os fashionistas impacientes pelo dia 10 de maio, quando a exibição será inaugurada.

A exposição “Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination” pretende explorar o diálogo entre a moda e a religião católica. Nas galerias estarão diversas vestimentas papais — muitas delas nunca saídas do Vaticano. Apesar de já ter visitado esse tema anteriormente, em 1983, com o show “The Vatican Collections: The Papacy and Art”, dessa vez o MET traz peças que não foram vistas antes.

Com curadoria de Andrew Bolton, as roupas permitem uma análise de um contexto mais amplo da produção artística religiosa e seu impacto fashion. De um dos lados, a sedução das vestimentas litúrgicas conquistou pintores e retratistas, que captavam o vermelho e o branco das vestes de forma impressionante.

Do outro, basta pensar nas criações de Cristóbal Balenciaga, Dolce & Gabbana e até mesmo a Versace. Entre as 150 vestimentas expostas até o dia 8 de outubro de 2018 estarão também peças de Coco Chanel, que foi educada por freiras, e John Galliano, que abriu seu desfile de Alta-Costura do outono de 2000 com um turíbulo.

Além de Donatella Versace e Amal Clooney, a cantora Rihanna também foi convidada para conduzir a abertura do evento. Sabendo que a diva sempre faz produções fieis a temática do show e que adora se divertir com a moda, não havia decisão mais oportuna para a ocasião.