Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Mattel lança Barbie inspirada em biomédica brasileira em linha que celebra cientistas no combate à Covid-19

Responsável pelo sequenciamento genético do novo coronavírus no Brasil, pesquisadora recebe boneca exclusiva do projeto Mulheres Inspiradoras
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Divulgação)

Após se tornar conhecida por liderar uma equipe que sequenciou o genoma do vírus SARS-CoV-2 em apenas 48h no Brasil – tempo recorde se comparado a outros países – a biomédica Dra. Jaqueline Góes agora se torna uma boneca Barbie. Para homenagear a grande marca na carreira da cientista que quebrou barreiras, lidou com muitos desafios e agora serve de inspiração para gerações futuras, a Barbie presenteia Jaqueline com uma boneca única e feita à sua semelhança. A iniciativa faz parte da linha “Mulheres Inspiradoras” (Role Models em inglês).

Doutora em Patologia Humana e Experimental pela UFBA (Universidade Federal da Bahia), instituição associada à Fiocruz, e mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa, a pesquisadora coordena o projeto CADDE (Centro de Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus), uma parceria do Brasil com o Reino Unido. E agora ela faz parte de uma lista de mulheres brilhantes homenageadas pela Barbie, junto com a modelo americana Ashley Graham, a cosmonauta russa Anna Kikina, a modelo e ativista britânica Adwoa Aboah, a chef italiana Rossana Maziale e a surfista de ondas grandes Maya Gabeira – a primeira brasileira eleita pelo programa da boneca, em 2019 – dentre outras personalidades, da medicina e da música.

“Enquanto cientista, mulher e negra, ser homenageada pela Barbie e me tornar um modelo para novas gerações é provar que através das oportunidades, o talento e inteligência podem alcançar e até gerar frutos positivos para uma nação”, fala a biomédica, que ainda destaca a dedicação e o comprometimento que todos os profissionais da linha de frente exibiram no combate à pandemia. “Crianças imaginam que podem ser o que quiserem, mas ver o que podem se tornar, ouvindo as trajetórias de outras pessoas e reconhecendo-se nelas faz toda a diferença.”

Além de Jaqueline, outras cinco mulheres, consideradas heroínas da pandemia, ganham o reconhecimento pela Mattel por trabalharem incansavelmente na luta contra a Covid-19 e por impactarem positivamente a comunidade. São elas: a enfermeira americana Amy O’Sullivan; Audrey Cruz, que atuou na linha de frente em Las Vegas e teve um importante papel no combate ao preconceito racial e a discriminação; a psiquiatra canadense Chika Stacy Oriuwa, que defendeu o racismo sistêmico na área da saúde; a professora de vacinologia Sarah Gilbert, do Reino Unido, líder no desenvolvimento da vacina de Oxford; e a australiana Kirby White, que desenvolveu uma bata que podia ser lavada e reutilizada, permitindo assim que os funcionários da linha de frente continuassem atendendo os pacientes durante a pandemia.

Lisa McKnight, vice-presidente sênior e chefe global da Barbie e bonecas da Mattel, conta como o projeto “Mulheres Inspiradoras” tem avançado fronteiras para inspirar meninas a serem tudo o que quiserem: “A Barbie reconhece que todos os trabalhadores da linha de frente fizeram enormes sacrifícios ao enfrentar a pandemia e os desafios que ela agravou”, diz ela, que complementa: “Para iluminar seus esforços, estamos compartilhando suas histórias e aproveitando a plataforma da Barbie para inspirar a próxima geração a seguir essas heroínas. Nossa esperança é nutrir e estimular a imaginação das crianças que interpretam seus próprios enredos como heróis”.

Criada em 1959 e hoje com mais de 200 profissões, a Barbie quer mostrar às meninas que elas podem ser tudo que quiserem e que é possível criar um mundo de infinitas possibilidades. Nenhum sonho é grande demais se é possível imaginá-lo – independente se o desejo é ser fada ou astronauta. A boneca continua a instigar as crianças no Brasil e no mundo e apresentar a conquista de diferentes mulheres, permitindo assim que se sintam inspiradas e empoderadas. Sonhar com o que querem ser é apenas o começo. Descobrir que realmente podem fazer toda a diferença.