Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Goiânia 88 anos: 24 curiosidades sobre a nossa capital

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Será que Goiânia ainda é jovem? Comparada a Roma, com seus quase três mil anos, a nossa capital ainda é uma criança, mas aos 88 anos Goiânia já tem muita história e curiosidade para contar, não duvide.

Coisas que vão desde a forma como foi planejada para ser uma capital de 50 mil habitantes, que já passou de um milhão há muitos anos, até a escolha de seu nome e a beleza de suas ruas arborizadas.

Sabe que Goiânia quase se chamou Petrônia? Já pensou!! Seriamos “petronienses” ou “petronianos”. Não importa, no coração do goianiense cabem muitos amores por essa cidade acolhedora e simpática, que gosta de sertanejo, mas adora rock, que não abre mão de uma pamonha quentinha e se deleita com os pit-dogs originais e exclusivos.

Que une sua vocação agrária a um estilo moderno e tecnológico que reina no cerrado com seus pés de ipê. A história de Goiânia reside nos vinte e dois edifícios e monumentos no estilo Art Déco que já foram tombados como patrimônio nacional e nos 43 parques que tornam a cidade cativante.

Confere aqui 24 curiosidades sobre a capital de Goiás:

1- Rolou votação, em 1933, para escolha do nome da nova capital e, por pouco, Goiânia não se chama “Petrônia” em homenagem a Pedro Ludovico Teixeira;

2- O nome “Goiânia” foi sugerido pelo professor Alfredo de Faria Castro. Goiânia tem origem em Goyanna, que vem do Tupi-Guarani, que significa “terra de muitas águas”.

3- Em 1933, o Governo de Goiás fez um empréstimo de seis mil contos de réis para despesas com a construção de Goiânia;

4- O Museu Pedro Ludovico, tombado como patrimônio estadual, possui documentos originais e até vestimentas do fundador de Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira;

5- O Monumento às Três Raças, que fica na Praça Cívica, foi projetado pela artista plástica Neusa Moraes e simboliza a miscigenação do branco, negro e índio;

6- Goiânia é o município brasileiro com maior área verde por habitante: 94 metros

7- Goiânia recebeu o seu mais tradicional teatro em 12 de junho de 1942: o Teatro Goiânia, projetado por Jorge Félix em estilo Art Decó;

8 – O primeiro aeroporto de Goiânia foi construído na década de 30, na região do Setor Aeroporto. A pista em formato de cruz ficava no local onde hoje está a Praça do Avião, no Setor Aeroporto;

9 – O Coreto da Praça Cívica, palco de manifestações artísticas, culturais e políticas, foi inaugurado em 1942, durante o Batismo Cultural da cidade;

10 – Construído na década de 1940, o Lago das Rosas é o mais antigo parque de Goiânia. Seu nome se refere ao grande canteiro de rosas que abrigava inicialmente. Por anos, o lago foi usado como piscina pela população que se divertia no trampolim.

11 – Maurício Vicente Oliveira, conhecido como ‘Mauricinho Hippie’ com sua alegria e roupas extravagantes e bicicleta colorida, chamava atenção por onde passava nas décadas de 1970 e 1980;

12 – A Feira Hippie era hippie mesmo, começou sendo realizada no Parque Mutirama, passou pela Praça Cívica e depois para Avenida Goiás. Agora funciona na região da 44 (Praça do Trabalhador);

13 – O Grande Hotel, na Avenida Goiás, construído em 1936, foi palco de grandes bailes de carnaval e de encontro de empresários, políticos e da burguesia da cidade até os anos 60;

14 – Goiânia foi planejada e construída entre 1933 e 1942, em um contexto histórico marcado pelo incentivo governamental para a ocupação da porção Centro-Oeste do território brasileiro;

15 – O Centro Cultural Martim Cererê foi criado em uma estação de água, os teatros são antigas caixas d’água da cidade;

16 – Goiânia é conhecida como a cidade dos sertanejos, mas o rock e a música erudita também são parte importante da cultura da cidade;

17 – O Mercado Central tem origem anterior à inauguração da capital. O edifício ficava na Rua 4 do Setor Central até 1986, onde atualmente é o Parthenon Center;

18 – Os passeios de domingo em Goiânia já fizeram de alguns lugares o point em épocas diferentes, do footing (passeio) na Praça Joaquim Lúcio e na Avenida Tocantins, a azaração passou para a praça Tamandaré, nos anos 80, e migrou para o Parque Vaca Brava e Praça do Sol, no início dos anos 2000;

19 – Em 1969, prestes a estrear o Parque Mutirama, o então prefeito de Goiânia, Iris Rezende, teve seu mandato cassado pela ditadura militar. O parque acabou sendo oficialmente inaugurado sem a presença
Parque Mutirama

20 – Falando em Mutirama, a ideia do parque surgiu após um passeio na Disneylândia. Uma ideia inovadora para a época e que acabou se tornado um marco para várias gerações, e que ainda encanta os pequenos goianienses;

21 – “Se não tem mar, vamos pro bar!” A noite goianiense é famosa como uma das mais animadas do país e a quantidade de bares e restaurantes para todos os gostos prova isso. Difícil é escolher aonde ir, né?;

22 – Falando em noite goiana, música ao vivo é outra especialidade da capital mais amada do Brasil. São tantos talentos e estilos que vários artistas famosos tiveram suas trajetórias marcadas em palcos goianienses, como Marcelo Barra, Fernando Perillo, Maria Eugênia, Cláudia Vieira, Marília Mendonça, Leandro e Leonardo e Gustavo Lima e tantos outros;

23 – Cidade do Rock? Temos artistas que mandam muito bem e uma banda já foi até indicada ao Grammy Latino, sabia? Estamos falando do Boogarins. Já a banda Carne Doce leva seu som super original aos quatro cantos do país e nos enche de orgulho. Falando em música boa,
Museu Zoroastro Artiaga

24 – O maior acervo Art Déco da América Latina é nosso! Uma voltinha pelo Centro da capital, com um olhar especial para os prédios da Praça Cívica nos mostra o quanto esse patrimônio arquitetônico é especial.

Fotos: Acervo: Prefeitura de Goiânia/ Jackson Rodrigues

Lívia Barbosa, Márcia Abreu e Teresa Costa, da Diretoria de Redação