Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Fundadores do Instituto Carlos André recebem prêmio da Central Única das Favelas

Eles foram eleitos pelos goianos por meio de votação popular para receber a premiação 'Pretos Empreendedores'
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Professor Carlos André (Divulgação)

O professor e advogado Carlos André Pereira Nunes e a diretora Marina Nunes, fundadores do Instituto Carlos André, recebem, na quarta-feira (16), em Goiânia, o prêmio Pretos Empreendedores, iniciativa da Central Única das Favelas (Cufa) para valorizar empreendimentos fundados por negros que gerem impacto social. O casal foi eleito pela sociedade goiana por meio de votação popular realizada em 2020.

“Gostaria de agradecer ao povo goiano que, há 20 anos, tornou-se o meu povo, pela confiança e pela deferência. Eu, de fato, não seria nada sem o povo goiano”, afirma Carlos André, natural do Tocantins.

A premiação, realizada pela Cufa em todos os estados brasileiros, teve como vencedores em Goiás o professor Carlos André e a diretora Marina Nunes pelo trabalho realizado à frente do Instituto Carlos André, que já atendeu mais de 14 mil alunos em cursos de língua portuguesa, redação e comunicação jurídica, em 12 anos de existência.

Em razão da pandemia de Covid-19, a solenidade de premiação teve de ser adiada para este ano. Em Goiás, a entrega do prêmio ocorrerá na quarta-feira (16), às 17h, no Sesc Centro, em Goiânia, e contará com a presença do presidente da Cufa Goiás, Breno Cardoso, e do presidente da Fecomércio Goiás, Marcelo Baiocchi.