Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Coca-Cola lança sua nova campanha de Natal com uma mensagem simples e inspiradora de positividade

Campanha nos lembra que a magia da data acontece quando nos conectamos uns com os outros
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
(Divulgação)

Para celebrar a conexão e empatia entre as pessoas, a Coca-Cola lança hoje sua tradicional campanha de Natal. Neste ano, a campanha ressalta que a magia do Natal acontece nos momentos simples e inclusivos. Ancorada em um curta dirigido por Sam Brown, da Rogue Filmes, juntamente com dentsuMB RU, a campanha incentiva a gentileza humana, destacando a importância da solidariedade nos dias atuais.

“A Coca-Cola tem uma ligação significativa com essa época do ano, o que faz com que sejamos conhecidos por muitos como ‘a marca que criou o Papai Noel’’. Desde a primeira campanha de Natal da marca, lá em 1920, até os dias de hoje, criamos campanhas que nascem de uma verdade do consumidor. Dessa vez, queremos celebrar a importância da conexão e empatia entre as pessoas”, conta Poliana Sousa, líder de Coca-Cola na América Latina. “Esta é nossa primeira campanha de Natal com a nova filosofia da marca Coca-Cola, ‘Real Magic’. Com uma mensagem simples e inspiradora de positividade e realismo, a ação visa lembrar que tudo o que precisamos para ter um Natal mágico é compartilhar momentos com a comunidade e com aqueles que amamos”, completa Manoro Arroyo, Diretor Global de Marketing da Coca-Cola.

Traduzido para o Brasil pela WMcCann, o filme será divulgado através de uma série de ativações em canais digitais, incluindo parcerias com influenciadores e estará disponível em um novo formato, com dois minutos de duração, assim como em uma série de versões mais curtas em mais de 90 mercados pelo mundo.

Sobre o curta

O conto inspirador mostra a chegada de um garoto com sua mãe a um novo apartamento. A inexistência de uma lareira na locação mexe com os sentimentos do protagonista, que entende que a falta de uma chaminé implica na ausência da visita do Papai Noel.

Motivada pela possibilidade de um Natal incompleto, o garoto começa a construir uma chaminé com caixas de papelão. Os vizinhos, tocados pela imaginação e esforços do garoto, se juntam a ele para o ajudar a terminar a construção a tempo para o Natal.

No fim, todos se reúnem ao redor da mesa de Natal e compartilham não somente de uma refeição natalina, mas também da magia em torno da comemoração.