Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Brasileira cria garrafa que torna qualquer água potável e representa o país em competição global

Finalista nacional do Red Bull Basement, a mineira Bárbara Paiva apresenta sua ideia diante de outros 43 países na final mundial do evento, na Turquia
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Bárbara Paiva chega à final mundial do programa que ocorre na Turquia, neste domingo (27), e apresentará seu projeto ao mundo (Foto: Donatello Ferraz / Red Bull Content Pool)

Imagina ter a capacidade de tornar qualquer água potável? Ideias mudam o mundo, e é nesse lema que Bárbara Paiva, estudante da Universidade Federal de Ouro Preto, se baseia. Como parte do Red Bull Basement, programa universitário mundial que busca capacitar alunos para dar o pontapé inicial em suas ideias por meio da tecnologia, a estudante desenvolveu o ‘Aqualux’ e, entre 443 equipes inscritas no Brasil, Bárbara foi eleita campeã nacional com seu objetivo de democratizar a água potável para pessoas que não têm acesso a saneamento básico. Como? Ela desenvolveu uma garrafa para esterilização de água por radiação, com filtro carregado a luz solar, que torna qualquer água potável. E o melhor: cabe na palma da mão e pode ser levado a qualquer lugar. Neste domingo (27), ela apresentará sua ideia ao mundo na Final Global, que acontece em Istambul, na Turquia.

O evento acontece entre os dias 24 a 27 de março, reunindo os vencedores de 44 nações ao redor do mundo. Juntos, eles participarão de workshops, atividades diversas, e obterão insights de visionários. No último dia, apresentarão seus projetos a um painel de especialistas e uma equipe será selecionada como Vencedora Global, recebendo um pacote personalizado de recursos para colocar sua ideia em prática.

Bárbara, como campeã nacional, já recebeu diversas ferramentas para desenvolver o seu projeto, como cursos, mentorias e softwares. “Essa oportunidade tem sido incrível ao meu projeto, porque além de me ajudar no desenvolvimento, ainda ajuda a acelerar o processo e aumentar a visibilidade. Dessa forma, é possível alcançar pessoas interessadas a embarcar nessa comigo, para que possamos mudar, rapidamente, os dados mundiais [de falta de distribuição de água potável a todos]”, conta a estudante.

Trajetória de Bárbara

Para conquistar a sua vaga de finalista, Bárbara teve uma longa trajetória na competição, desde uma avaliação da comunidade local entre os meses de setembro e outubro de 2021, que foi levada em conta para a decisão final do painel de jurados, até a seleção dos 10 projetos finalistas – onde seu projeto foi escolhido. Nesta última etapa, sua ideia foi julgada por Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi e Co-Founder e Chairman do G4 Educação; Isabela Matte, empresária e eleita na seleção ‘30 under 30’, da Forbes e Runiet Skoberg, Sr Solutions Manager da NTT.

“O Aqualux é um produto extremamente interessante dadas as suas características técnicas e do ponto de vista dos benefícios que oferece. Só no Brasil, o número de pessoas que não possui acesso à água potável é de 35 milhões de indivíduos, demonstrando um grande potencial de impacto. Agora, precisamos focar no desenvolvimento de alguns pontos: tornar o empreendimento escalável, mapear os diferenciais competitivos mais atrativos para os investidores e ampliar o mercado de potenciais consumidores. O produto agrega valor para a sociedade, e por isso precisamos estruturá-lo enquanto negócio.” comenta Gomes, um dos principais nomes do empreendedorismo nacional.