Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Segundo dia de desfiles do SPFW

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Animale
O baiano Vitorino Campos uniu suas referências às de Beth Nabuco para criar a coleção Híbridos. Os looks focados na individualidade de cada modelo, com muitas variações capazes de contemplar diferentes tipos de mulheres. Lã, seda, couro, pele, tricô e renda francesa foram tecidos escolhidos para próxima estação do inverno 2016 da Animale.
  • Desfile Animale (Foto: Agência Fotosite)
  • Animale (Foto: Agência Fotosite)
Uma Raquel Davidowicz
Inspirada por sua recente experiência em NY, Raquel traz uma transição fácil da passarela para as ruas. Queridinha de quem tem um estilo minimalista, a Uma agrada nas poucas cores das peças misturadas a materiais nobre, como seda e couro.
  • Uma Raquel Davidowicz (Foto: Agência Fotosite)
  • Uma Raquel Davidowicz (Foto: Agência Fotosite)
Ronaldo Fraga

Contador de histórias oficial da Fashion Week de São Paulo, Ronaldo Fraga desta vez relembra a história de amor de cada um. As delícias, mais do que as dores do amor, são o foco da coleção do estilista. Nas roupas, o tecido que aparece em tudo, tricotado, misturado ao algodão ou numa versão mais rústica é a seda, confeccionada pelas artesãs da Vila da Seda, comunidade no Paraná, uma das poucas no mundo a produzir a matéria prima.Já na abertura da apresentação, porém, Ronaldo revela que sua ideia é transpor o conceito de roupa com gênero, , mesmo que ela pareça mais feminina ou masculina, e que ambos os sexos possam usá-la.
  • Ronaldo Fraga (Foto: Agência Fotosite)
  • Ronaldo Fraga (Foto: Agência Fotosite)
Lily Sarti
A estilista que se diz ter uma ligação com o misticismo há muito tempo, incorporou a crença à coleção. Sem deixar de lado a pegada setentista, a marca incorporou o esoterismo com acabamentos luxuosos, como o tule devorê com símbolos que remetiam da Astrologia ao Egito Antigo, pashminas, pelo de ovelha, couro, tricôs e lamê. Olhos de Horus (símbolo de proteção no Egito), yin e yang, cruz de Ansata e ícones de astrologia foram recortados no couro, a laser, aplicados em em várias peças de roupa, e também viraram belos braceletes, pingentes de colares e brincos.

  • Lily Sarti (Foto: Agência Fotosite)
  • Lily Sarti (Foto: Agência Fotosite)