Para arranhar com força!

Lixadas, pintadas, fortificadas e limpas, essas são as unnhas perfeitas! Mas e o esmalte pode estraganhar as unhas? Qualquer mulher que pinte as unhas ao menos 1 vez por semana irá, eventualmente, sofrer com algum problema. O uso contínuo da química contida em esmaltes e acetonas atinge as unhas, deixando-as fracas e desencadeando alguns dos sintomas tais como o ressecamento ou enfraquecimento. Além disso, uma alimentação desequilibrada (pobre em vitaminas, cálcio e minerais) pode acelerar ainda mais esse processo, comprometendo seriamente a saúde das unhas.
Segundo Marcelo Bellini, professor da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, as mãos ficam mais expostas ao vento, água fria ou quente. Como possui menos glândulas sebáceas, a capacidade de produzir oleosidade natural é menor. Por isso, a atenção deve ser maior para evitar ressecamento e, até mesmo, fissuras.

“O principal cuidado que devemos ter com as mãos é a proteção contra as nocivas radiações solares, fazendo o uso adequado de filtro solar. Assim, é possível prevenir o aparecimento de manchas e o envelhecimento causado pelo sol”, alerta Ana Beatriz Schmidt, dermatologia e tricologista do Instituto de Pesquisa e Tratamento do Cabelo e da Pele (Iptcp). Não esqueça de que é necessário reaplicar o filtro após a lavagem das mãos.

As unhas quebradiças estão associadas ao descolamento transversal das camadas da unha e também à imersão freqüente das mãos e unhas na água. “Também podem ocorrer por deficiência de ferro, anemia, alterações da circulação sanguínea (periférica) e até por outras doenças menos comuns”, revela a médica.

Conserve unhas saudáveis!

Um dos fatores que podem deixar as unhas feias é o hábito de roê-las. Ana Beatriz diz que o tratamento é baseado na motivação da paciente. “Podemos prescrever cremes com sabor amargo para tirar a motivação do ato de roer, usar anti-sépticos locais e cremes antimicrobianos se houver infecção secundária”, afirma a dermatologista.

Remover ou não a cutícula gera sempre dúvida, já que é uma película protetora contra a entrada de microorganismos. “Devemos evitar retirá-la profundamente e sim empurrá-la com uma espátula, removendo apenas o excesso de pele. Procure deixar as unhas sem esmalte pelo menos uma noite por semana, para evitar o ressecamento”, explica Ana Beatriz. Não deixe de usar seus próprios instrumentos de manicure quando for fazer as unhas, evitando micoses, alergias e a transmissão de doenças.

O uso de unhas postiças acrílicas, como as de porcelana, pode provocar a chamada dermatite de contato alérgica após dois a quatro meses da aplicação, o que causa fissuras na unha verdadeira, que se torna mais fina e frágil. Já as unhas artificiais de plástico, se usadas por mais de quatro dias, podem provocar a onicólise – separação do corpo da unha da base – e também há possibilidade de ocorrer dermatite de contato.

Os produtos de limpeza também podem causar a dermatite de contato, quando algum dos componentes provoca uma agressão, levando ao aparecimento de lesões eritematosas e pruriginosas. “Proteja-as com luvas ao manipular produtos de limpeza ou substâncias irritantes”, lembra Bellini.

Hidratar sempre!

Não se esqueça do cuidado com as mãos e unhas, que geralmente são deixadas de lado. Elas também mostram os sinais de envelhecimento que podem ser evitados e, se instalados, tratados.

A dermatologista diz que o hidratante corporal pode ser usado nas mãos, porém, o ideal é priorizar o uso de cremes mais específicos, pois a área das mãos é mais exposta ao sol e a repetidas lavagens. Desse modo, necessita de mais atenção.

“Durante o dia, procure utilizar fórmulas que contenham silicone e óleos (macadâmia, uva e rosa mosqueta) que formam uma película sobre a mão, independentemente da quantidade da perda de água. Já à noite,as fórmulas devem conter uréia, ácido lático e lactato de amônio, que têm alto poder de hidratação. Proteja-as com filtro solar, principalmente ao dirigir”, orienta Bellini.

Veja algumas dicas que podem salvar suas unhas!

  • não corte as unhas até o “sabugo”, deixe sempre uma pequena porção da borda livre.
  • não corte as unhas dos pés pelos cantos, isso evitará que elas encravem.
  • não retire ou afaste as cutículas, elas protegem a matriz ungueal da ação de substâncias químicas e/ou microorganismos.
  • evite usar endurecedores de unha, eles podem causar ressecamento e manchas.
  • evite deixar as mãos úmidas por muito tempo. A umidade excessiva favorece o surgimento de micoses como o “unheiro”.
  • deixar de usar esmaltes durante 1 semana por mês, usando um hidratante com uréia neste período, ajuda a evitar o ressecamento e desfolhamento das unhas.
  • qualquer alteração como bordas desfolhando ou quebrando, manchas, descolamento ou espessamento da unha, procure um dermatologista para o correto diagnóstico e tratamento.

Deixe um comentário


Confira também