Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Projeto propõe tornar Goiânia a capital da moda

Prefeitura se reuniu com a Casmoda, Fieg, Sebrae e empresários para debater os rumos da área na capital e no interior de Goiás
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
O prefeito Rogério Cruz junto a representantes do setor durante reunião (Fotos: Alex Malheiros)

Um setor que congrega 14 mil lojas e emprega 160 mil pessoas só na Região da 44 e que tem mais 200 mil trabalhadores de diversas funções nas mais de 3,6 mil indústrias dos segmentos têxtil, vestuário, acessórios, preparação do couro, calçados e cosméticos no Estado de Goiás. Estamos falando do mercado da moda que foi pauta de reunião promovida nesta quinta-feira (28) pela Câmara Setorial da Moda (Casmoda), no auditório do 10° andar da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg).

Representantes do Paço Municipal no encontro, o prefeito Rogério Cruz e a primeira-dama Thelma Cruz, tiveram ao lado a secretária municipal de Relações Institucionais (SRI), Valéria Pettersen, e o presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Valdery Júnior, parceiros do poder público municipal do planejamento estratégico que a Casmoda detalhou para o público presente visando mostrar as ações que serão realizadas nos próximos anos na capital e no Estado.

Em seu discurso, o prefeito da capital ressaltou a importância da parceria com o setor produtivo e citou que estão sendo estudadas políticas públicas com vantagens competitivas para que os empreendedores do segmento possam avançar com suas atividades no município. “Queremos tornar Goiânia a capital da moda do Brasil, transformando-a no maior polo distribuidor de moda do país”, afirmou Rogério Cruz.

Nessa perspectiva, a titular da SRI, Valéria Pettersen, destacou a parceria com a Casmoda e anunciou projeto da Prefeitura de Goiânia que será voltado à revitalização da Região da 44 e de outros importantes polos de confecção da capital. “Queremos intensificar o turismo de negócios e atrair investimentos. Para tanto, prevemos ações em infraestrutura urbana, com implantação de ruas inteligentes nos polos atacadistas, além de atuação voltada para incentivar a moda como um todo, não só roupas, mas acessórios, calçados e cosméticos”, explicou.

Anfitrião do evento, o presidente da Casmoda, José Divino Arruda, explica que está em andamento, em parceria com a prefeitura, o projeto Goiânia Tá na Moda, com foco nos polos atacadistas, além de projeto que propõe escalonamento de descontos no IPTU para empresas do setor, de acordo com a quantidade de empregos gerados pelo negócio. “Buscamos convergir as petições das 34 entidades que compõem a Casmoda. A Câmara não é somente Fieg, mas de todos que participam. Essa união traz força para o setor”, avaliou.

Parceiro do projeto, o Sebrae Goiás prepara ações coordenadas pela Fieg para estimular eixos estruturantes do setor, como inovação e tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, Acesso a mercado e eventos, Arranjos produtivos (APL), desenvolvimento do Selo da Moda Goiana, formação e desenvolvimento das empresas e captação de recursos e investimentos. As ações envolverão comitês multissetoriais, com participação de instituições do Sistema S (Senai e IEL), universidades, fundações de pesquisa e secretarias municipais de Goiânia e Secretaria de Indústria e Comércio de Goiás.