O Charme dos Lofts na Casa Cor Goiás 2011

O bairro nova-iorquino SoHo foi o cenário para o surgimento de um verdadeiro estilo de morar: os lofts. Nos anos 1970, diversos artistas foram para o local em busca de um custo de vida mais acessível e passaram a viver em antigos galpões. Não havia paredes para delimitar os espaços, nem muitos adornos para enfeitá-los. O conceito agradou os descolados da época e atravessou gerações.
Há quem diga que os primeiros traços que deram vida a um loft saíram da prancheta do arquiteto francês Le Corbusier. Ainda na década de 1920 ele criou apartamentos amplos, com pé-direito duplo e muita luz natural. Este conceito foi reproduzido nos anos 1930, nos subúrbios de Manhattan. Mas foi apenas em 1970 que morar em lofts virou moda e, a partir daí, não ficou conhecido apenas como um local para morar, mas sim como um estilo de viver.
Atualmente, diversos empreendimentos investem nessa ideia e apresentam imóveis amplos com ambientes integrados. Há também pessoas que preferem manter a construção original e reaproveitam antigas instalações de casas ou comércios. Nos dois casos, um aspecto comum: é preciso caprichar na decoração, pois todos os detalhes estarão à vista.
O Estilo de vida dos lofts entram em cena na Casa Cor Goiás 2011 mostrando soluções que revolucionam a relação entre pessoas e seus espaços de viver. Com ambientes sofisticados e acolhedores, a exposição apresenta idéias para variados estilos de morar em apartamentos e residências. Os lofts estão em seis ambientes da mostra: Casa de Veraneio, Loft Nova Yorkino, Um Refúgio para Ingrid Guimarães, Loft 1, Loft 7 e Loft 8. Urbanos e contemporâneos, os lofts da Casa Cor Goiás mostram que criatividade e boas idéias cabem em qualquer espaço.
Aproveite o espaço aberto – Como não há divisórias, o mais recomendado é usar móveis e cores para delimitar os ambientes. Para garantir charme de sobra é muito importante deixar a criatividade tomar conta. Para os lofts não há regras. Vale misturar estilos, compor detalhes que roubam a cena. Só não vale pecar pelo excesso.
Móveis com dupla função também são indicados. Eles ajudam a aproveitar a metragem disponível e apresentam soluções inteligentes. Vale apostar também em modelos planejados. Dessa forma, se consegue incorporar os móveis aos ambientes com maior facilidade.
Os aparadores, biombos, mesas com características retro e quadros apoiados nas paredes também são boas opções para deixar o projeto do loft especial. Também é importante prestar atenção para não deixar o conforto do morador de lado. É fundamental saber integrar os espaços sem perder a privacidade em um loft.
Materiais utilizados – Os materiais de acabamento também são imprescindíveis na hora de dar vida a um loft. Os campeões de pedidos são os tijolinhos à vista, o colorido dos ladrilhos hidráulicos, o charme do concreto aparente e a simplicidade da madeira de demolição. Em muitos casos, as tubulações elétrica, de ar-condicionado e hidráulica ficam aparentes, característica típica dos modelos nova-iorquinos. Outro elemento onipresente é o pé-direito duplo, que tem a função de valorizar o imóvel, conferindo-lhe a sensação de amplitude.
O que evitar – É fundamental tomar alguns cuidados básicos para não perder as características originais de um loft. Não use materiais diferentes para revestir o piso de cada área e nem pense em colocar divisórias para criar áreas isoladas porque estaria mudando a proposta completamente. As cores que irão compor o projeto têm papel fundamental e devem ser escolhidas com atenção. Como os ambientes são integrados, evite optar por muitas tonalidades. Diga não ao exagero.

Deixe um comentário


Confira também